Aprenda a utilizar suportes na impressão 3D Deixe um comentário

Hoje vamos falar sobre um assunto que causa literalmente calafrios mesmo nos makers com boa experiência em impressão 3D: a utilização de suportes. Neste post vamos explanar sobre como utilizá-los de forma apropriada para garantir sempre peças perfeitas mesmo em geometrias complicadas. Vamos lá? 

Suportes na impressão 3D: O que é isso afinal? 

Suportes são estruturas que tem como função dar sustentação às partes do seu projeto que não possuam literalmente nada por baixo. Dessa maneira os suportes fornecem um apoio crucial evitando que seu projeto se resuma a uma pequena montanha de filamento pelo chão!

Como funcionam os suportes? 

Melhor do que falar é  ver isso na prática: a imagem a seguir contém uma malha 3D apenas importada para o nosso fatiador (Ultimaker Cura 4.6.2).

Vamos agora ordenar o fatiamento da peça em questão sem ativar os suportes ou mexer em qualquer outro parâmetro crítico. Repare que a peça escolhida possui uma base sólida com ótimo contato entre a mesma e a área de impressão.

Porém, reparem que ao longo da subida das camadas que a “barriga” do cavalo não possui qualquer apoio! Isso significa que se tentarmos imprimir esta peça nessa situação, a área sem apoio simplesmente iria se resumir a filamento lançado a esmo na mesa de impressão, transformando a peça em um grande pacote de macarrão instantâneo de alto valor agregado!

Comecemos então habilitando a ferramenta de suportes do Cura:

Feito isso, vamos mandar o Cura fatiar a peça novamente sem ainda mexer em NADA apenas para ver o que acontecerá.

Reparem como agora temos apoio nas áreas onde antes não existia nada para impedir que o filamento fosse ao chão! Isso possibilitará a impressão destas partes sem o menor problema! 

Configurações do suporte

Não basta apenas habilitar suportes, precisamos configurar sua colocação de maneira correta para que seja possível retirá-lo da peça depois de maneira fácil e sem causar danos ao nosso projeto!

A situação abaixo mostra o suporte começando a fazer o seu trabalho. Repare como o suporte criado neste primeiro momento é sólido e muito robusto o que permitirá uma impressão sem sobressaltos da parte até então sem apoio da nossa peça. Porém, reparem que ao mesmo tempo, não existe uma distância mínima entre o que está sendo impresso e o suporte. Isso pode fazer com que o suporte fique difícil demais para remover ou até mesmo danifique a peça impressa durante a sua remoção. É justamente para evitar estes e outros problemas que iremos explanar sobre a configuração avançada dos suportes.

Configurações dos suportes na impressão 3D

Densidade do suporte

O suporte será gerado tendo como base a densidade previamente escolhida no preenchimento, ou seja, se uma peça possuir 35% de preenchimento, o suporte a ser gerado tomará como limite de densidade máximo o valor atribuído no preenchimento da peça, ou seja, os 35% que usamos no exemplo! 

Mais sobre densidde dos suportes na impressão 3D

Formas de abordagem do suporte

Existem duas formas primárias de abordagem dos suportes, a primeira “Touching Buildplate” (apenas em áreas sob a mesa de impressão) e a segunda “Touching Everywhere” (toda a área de impressão). 

A primeira é mais adequada quando o nosso projeto não possui nada entre as partes sem apoio onde o suporte terá que começar a ser impresso diretamente sob a mesa de impressão para gerar a base necessária.

A segunda é mais indicada quando temos pontos sem sustentação que precisam de apoio e não há área de contato com a mesa de impressão disponível, como é o caso do nosso exemplo de hoje. 

Localidades dos suportes na impressão 3D

Padrão de construção do suporte

O padrão de construção do suporte influi diretamente sobre a peça em questão. O mais comum é o em linhas (lines) ou mesmo grade (Grid). Porém, caso deseje suportes mais firmes e inteiriços para retirar de uma vez só, opte pelo padrão em Zigue Zague.

Tipos de suportes na impressão 3D

Lembra-se de quando falamos sobre o preenchimento da peça? É justamente aqui que a diferença aparece! Quanto maior for a densidade escolhida, maior será o apoio gerado para confeccionar a peça em questão, porém, apoios fortes demais podem ser difíceis de se retirar depois! 

Dicas importantes! 
  • Para peças em PLA e suas variantes, prefira trabalhar com suportes com densidade abaixo dos 10%. Isso irá garantir uma retirada mais rápida. 
  • Para ABS, prefira densidades entre os 10 a 15%, valores maiores podem acabar gerando problemas na retirada a menos que o arquivo “Leia-me” da peça diga o contrário. 
  • Para PETG e similares, vale a mesma regra do ABS. 
  • Para filamentos flexíveis e semiflexíveis note que aqui devemos ter a ciência de que o suporte será… “mole” então densidade até 20% não chegará a ser um grande problema se aplicável. 

Densidade suportes na impressão 3D

Aqui temos o mesmo suporte com uma densidade bem menor, repare como a estrutura diminuiu! 

Densidades diferentes nos suportes na impressão 3D

Cuidado com a redução indiscriminada! Diminuir além da conta pode fazer com que o suporte perca o seu propósito! Sempre cheque seu fatiamento para ter certeza de que a peça terá o apoio necessário! 

Redução da densidade dos suportes na impressão 3D

Distância do Z

Sem dúvida o ajuste que irá determinar se o suporte irá sair “fácil” ou não da peça é este! A distância do Z irá determinar o vão que o suporte terá do primeiro ponto de apoio da peça. Quanto maior for este “vão”, mais tênue será esse apoio e consequentemente mais fácil será retirar o suporte! Um ajuste que costuma funcionar muito bem em 90% dos casos é entre 0.13 e 0.15 mm.

Distância do suportes na impressão 3D

O Brim é bem importante quando o suporte é impresso diretamente sob a mesa de impressão garantindo sustentação ao mesmo. não se esqueça de habilitá-lo nesta situação!

Interface do suporte

Este ajuste criará literalmente uma barreira física entre o suporte e a peça tornando mais simples a sua posterior retirada. Porém, em alguns casos tal ajuste irá elevar o tempo de impressão e dependendo do caso gerar problemas de adesão a peça,  principalmente em projetos de complexidade elevada já que pequenas partes podem acabar se soltando do suporte, promovendo quebras em certos materiais menos duros, tais como o ABS.

Interface dos suportes

Aqui temos um belo exemplo da interface do suporte em ação! Veja que o suporte não tem mais contato com a peça diminuindo assim o risco de danificar a peça em questão. 

Espaço entre suportes e peça 3D

Conclusão

Agora que já aprendemos a configurar os suportes na impressão 3D, é hora de fatiar! Não se prenda se for necessário checar o fatiamento diversas vezes, é muito melhor isso do que perder material!

Modelagem 3D com suportes feitos

Checado o fatiamento é hora da impressão! 

Se você seguiu os conselhos e ensinamentos aqui propostos poderá com toda certeza alcançar resultados similares a este aqui! 

Impressão 3D completa e suportes feitos

Gostou de aprender a configurar suportes na impressão 3D da maneira correta? Não deixem de acompanhar os próximos artigos aqui no blog da FilipeFlop! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *