Capa do Artigo Como Imprimir Peças Pequenas em Impressora 3D FDM ou FFF

Como imprimir peças pequenas em impressoras 3D FDM? Deixe um comentário

Imprimir peças pequenas em impressoras 3D que utilizam filamento não precisa ser uma tarefa difícil, muito pelo contrário! Respeitando os limites de cada máquina podemos alcançar verdadeiras pequenas maravilhas, vamos lá?

Tamanho não é DOCUMENTO

Isso mesmo! As dimensões do conjunto mecânico podem apresentar grandes disparidades mas não são um fator limitador para executar mesmo tarefas delicadas, desde que se tenha atenção aos pequenos detalhes como manter a manutenção em dia, usar sempre filamentos de alta qualidade e claro, sempre respeitar as especificações mínimas que o conjunto consegue alcançar, tal dado é geralmente informado pelo fabricante ou mesmo no arquivo de especificações do projeto no caso de printers de hardware aberto.

Porque o filamento é tão importante?

Seja o polímero que for, a qualidade da fabricação do filamento e sua procedência importa muito pois peças pequenas farão com que a extrusora e o hotend trabalhem sob alto regime de stress mecânico. Filamentos de baixa qualidade podem desde provocar perda de qualidade no seu projeto e em casos mais graves até provocar o entupimento do hotend ou quebra do filamento no caminho da extrusora gerando aborrecimentos que poderiam ter sido evitados.

Como saber se o filamento está bom?

Inspecione o carretel em busca de nós ou detritos tais como poeira e etc.

Meça diferentes pontos com um paquímetro para verificar se o diâmetro está dentro da tolerância indicada para uso na sua printer. Por exemplo, filamentos com diâmetro declarado de 1.75 mm não podem ter mais do que 1.85 mm na aferição pois podem ficar presos dentro do conjunto e provocar entupimentos.

Verifique se a cor do carretel está homogênea, ou seja se não tem pontos com marcas de pigmentação excessiva.

Impressora pronta e filamento no lugar, é hora de configurar e fatiar!

O Grande segredo para se imprimir peças realmente pequenas se concentra no correto fatiamento da peça levando a printer a trabalhar no limite da precisão que o conjunto mecânico da mesma pode oferecer, seja a eletrônica qual for, 8, 32 ou 64 bits!

Configurações para imprimir peças pequenas em impressora 3D

Para conseguir obter o melhor resultado nas impressões de peças pequenas você deve observar alguns detalhes de configuração do fatiamento e da impressora.

Altura das camadas e diâmetro do bico!

Quanto menor a altura das camadas, menos material será extrusado a cada passada gerando peças com maior resolução. Mas o principal artifício é forçar via software a diminuição do diâmetro do bico, isso mesmo!! assim poderemos obter linhas mais finas e ainda mais precisas! Para um bico de 0.4 mm que é o que mais se vê nas impressoras disponíveis para venda ao público em geral, o valor mínimo que podemos extrusar com segurança é 0.271 mm! Nos bicos de 0.5 mm, não tente nada abaixo de 0.3 mm!!

Espessura da peça

A espessura da peça deve ser preferencialmente entre 0.8 e 1.2 mm a fim de garantir uma boa consistência e resistência mínima aceitáveis.

Espessura da base e topo da peça

A espessura da base e topo devem acompanhar a mesma especificada no perímetro das paredes da peça.

Preenchimento da peça

O preenchimento irá variar de acordo com a peça escolhida, mas não mais do que 5 a 10%.

Temperatura do material

A temperatura do material e consequentemente da mesa aquecida* (se disponível) irá variar sempre para BAIXO operando sempre perto dos valores mínimos de fusão para gerar mais precisão e menos chance de stringing, no caso do PLA HT sempre utilize o mesmo entre 185 até no máximo 195º C.

Velocidade de impressão

O mantra sempre dirá que quanto mais LENTO melhor! Então acima de 30 mm/s dependendo do tamanho poderá sim ser desperdício!

Refrigeração extra

Caso sua impressora 3D possua uma ventoinha secundária, é mais do que conveniente utilizá-la caso o material não sofra com retração por choque térmico.

Suportes

É sim tentador utilizar suportes quando acreditamos que existem áreas sem a menor condição de subida sem base, mas em peças pequenas o bridge costuma ser suficiente para lidar com isso, principalmente em materiais de alta qualidade como HT PLA, PLA SILK ou ABS MG94 por exemplo.

Adesão à mesa.

A forma de adesão à mesa irá variar de acordo com o tipo de peça a ser feita, peças com área de contato pobre em relação a mesa, irão precisar de brim ou até mesmo raft, vale o fatiamento prévio para avaliação.

Fatiada a peça, chegou a hora da verdade!!

O tamanho até intimida não é mesmo? Repare como a baixa temperatura do hotend permite a criação de detalhes que seriam praxe ver em impressoras SLA/DLP!

Ao usar filamentos translúcidos ainda podemos criar efeitos como este usando uma simples fonte de luz como um pequeno LED por exemplo!

Para fechar vamos comparar a escala real da peça para com a nossa miniatura!

Agora que você já conhece a técnica para impressão de miniaturas 3D, não deixe de continuar com a gente por essa incrível jornada pelo universo da impressão 3D aqui no blog da FILIPEFLOP!

Faça seu comentário

Acesse sua conta e participe