Capa do artigo como solucionar os principais problemas da Raspberry Pi Pico

Como solucionar os principais problemas com Raspberry Pi Deixe um comentário

O Raspberry Pi é uma família de placas bastante versáteis, fáceis de colocar em operação e bastante robustas. A maioria dos problemas ocorrem por maus tratos ou pelo uso de acessórios de má qualidade. Mas problemas podem sempre surgir, mesmo com os maiores cuidados, e nesse artigo vamos ver como solucionar os mais comuns.

Como solucionar os principais problemas com Raspberry Pi

Raspberry Pi esquentando

A cada nova geração do Raspberry Pi é usado um processador mais poderoso. Com isso, aumenta o consumo e, por consequência, o calor gerado. A Raspberry Foundation, responsável pelo projeto da Raspberry Pi, afirma que nenhuma placa (até o momento) exige o uso de dissipadores ou ventilação forçada, mas isto é apenas parte da história.

Como a maioria dos processadores atuais, o processador da Raspberry Pi possui internamente um sensor de temperatura e adota precauções para impedir a falha em caso de sobreaquecimento. Quando a temperatura interna ao chip passa de um certo valor (que varia conforme o modelo), o clock é reduzido para diminuir o calor gerado. Desta forma se evita danificar o processador, mas ao custo de desempenho. Esse efeito é mais visível nos modelos mais recentes (o Raspberry Pi 3 e 4).

O problema de aquecimento se manifesta quando é exigido continuamente um processamento intenso e é mais crítico quando a placa está em uma caixa ou gabinete fechado.

A primeira solução é colocar dissipadores no processador, no regulador de tensão e na interface de rede, como os modelos comercializados pela FilipeFlop. Atenção que os adesivos para fixar os dissipadores são especiais para conduzir calor, o uso de algum outro tipo de fita pode impedir a transmissão correta do calor.

Como solucionar os principais problemas com Raspberry Pi

Se você vai colocar a placa em uma caixa, certifique-se que ela tem aberturas adequadas para a circulação de ar.

Se você vai exigir muito desempenho do Raspberry, e as soluções acima forem insuficientes, é hora de investir num ventilador ou, melhor ainda, uma caixa específica para o uso com ventilação forçada (como esta para o Raspberry 3 e esta para o Raspberry 4).

Como solucionar os principais problemas com Raspberry Pi

Raspberry Pi reiniciando sozinha

Existem vários motivos que podem causar a reiniciação da Raspberry Pi.

O mais comum é uma fonte de alimentação incapaz de fornecer a corrente necessária. Infelizmente uma quantidade grande das fontes “genéricas” não são capazes de fornecer a corrente indicada nas suas especifcações.

Uma variação mais rara de problema de alimentação, mas que já me aconteceu, é um cabo USB de má qualidade. Para economizar custos, alguns cabos utilizam condutores extremamente finos (e portanto com maior resistência). Quando uma corrente mais alta passa por eles, temos uma queda de tensão (corrente x resistência) que pode fazer a alimentação entregue à placa ficar fora das tolerâncias.

Uma outra possibilidade é algum dispositivo externo defeituoso. Experimente desconectá-los (um de cada vez) e ver se as reiniciações continuam acontecendo.

Embora não seja comum, um cartão micro SD defeituoso pode ser a causa. Experimente trocá-lo e observe se o problema continua.

Por último, pode ser um problema com as aplicações que você está rodando. Se você está operando a placa sem monitor, experimente conectar um e observe se é apresentada alguma mensagem de erro quando ocorre a reiniciação. Verifique também se a reiniciação ocorre mesmo quando nenhuma aplicação está rodando. Se não ocorrer, ative uma a uma as aplicações para determinar qual está causando o problema.

Mantendo Atualizado o Sistema Operacional da sua Raspberry Pi

O sistema da Raspberry Pi recebe frequentemente atualizações. Elas podem ser relativas a segurança, bugs, suporte a novos dispositivos ou melhorias. Manter o sistema atualizado é muito simples. Com o raspberry conectado à internet, basta abrir uma janela de console e digitar os comandos abaixo>

sudo apt update
sudo apt full-upgrade

O único detalhe é que este procedimento não faz a migração do sistema operacional para uma nova versão, apenas instala as atualizações da versão em uso. Para migrar para uma nova versão o caminho mais seguro é reinstalar o sistema operacional.

Regravando o Sistema Operacional da sua Raspberry Pi

De um modo geral o sistema de arquivos do Linux é bastante resistente a maus tratos. Entretanto, pode acontecer que ele seja corrompido a ponto de impedir o bom funcionamento do Raspberry. Nesta hora não tem jeito, é preciso reformatar o SD e regravar o sistema operacional.

IMPORTANTE: Este procedimento apagará todos os aplicativos, configurações e arquivos de dados instalados/criados após a gravação do sistema operacional.

Existem várias formas de regravar o sistema no cartão SD, vamos usar aqui o Raspberry Pi Imager, a ferramenta mais recente da Raspberry Foundation. Para isso você vai precisar de um micro com Windows, Ubuntu ou MacOS que tenha uma interface para ligar o cartão SD.

Os passos a seguir são:

  1. Baixe o Raspberry Pi Imager da página oficial.
  2. Execute o arquivo baixado para instalar o aplicativo
  3. Coloque o cartão SD no micro
  4. Execute o Raspberry Pi Imager
  5. Selecione o sistema operacional a instalar (a não ser que você tenha uma necessidade especial, selecione o
  6. Raspberry Pi OS (32bits))
  7. Selecione o cartão SD
  8. Clique em “Write”
  9. Aguarde a confirmação da gravação e verificação

Como solucionar os principais problemas com Raspberry Pi

Neste artigo vimos como solucionar os problemas mais comuns com a Raspeberry Pi. Utilize os comentários e a nossa Comunidade Maker no Facebook para dizer se este artigo o ajudou, compartilhar as suas soluções de problemas ou pedir ajuda para algum problema que não esteja descrito aqui.

Faça seu comentário

Acesse sua conta e participe