Diferenças entre as placas controladoras 8 Bits e 32 Bits Deixe um comentário

Olá pessoas! Tudo bem com vocês?

Este artigo aqui é pra você, que já leu e pesquisou muito sobre como trocar a sua controladora de 8 para 32 bits e ainda está na dúvida de quais são os seus diferenciais.

Vamos iniciar com a premissa básica de que a controladora é como se fosse o cérebro da impressora. Nele é onde recebemos os comandos gerados pelo o arquivo “.GCode”, que funciona como um GPS passando as coordenadas para aí então, a sua impressão se concretizar.

Começamos com a quantidade de ganhos que adquirimos com mais memória disponível. Tanto em estabilidade e precisão em suas impressões como no aumento de Buffering (uma região de memória física utilizada para armazenar temporariamente os dados enquanto eles estão sendo movidos de um lugar para outro) e em novos recursos que antes não estavam disponíveis em uma controladora 8 bits. Tais como conexão por Wi-Fi (com o módulo previamente instalado em algumas placas), a possibilidade do uso de drivers TMC Ultra silenciosos. (Yeah Baby, são eles que fazem a sua impressora não ter mais aquela “melodia” durante as impressões!).

Sem falar que, com este upgrade, é possível fazer o monitoramento de suas impressões com câmeras ligadas diretamente na controladora!

“Mas aí que tá Noobli… Por que as controladoras 8 bits são tão limitadas???”

Vamos começar do início, meu pequeno Padawan. 8 Bits é referência aos processadores que utilizam 8 bits simultaneamente para executar tarefas. Um barramento de dados 8 bits é um barramento de endereço de 16 bits. Ou seja, o volume de informações que vão trafegar por estes barramentos é de 64kB. Fazendo assim, na prática, ser um valor muito baixo e privando de mostrar algumas informações importantes da impressora no LCD, por exemplo.

Placa Arduino Mega e Shield Ramps
Conjunto controlador Arduino e RAMPS. O precursor da tecnologia 8bits no mercado 3D.

 

Placa controladora de 8 bits da Impressora 3D Creality Ender 3.
Conjunto controladora 8 bits Creality.

Vamos falar dos modelos SKR!

Essa família veio a se destacar em meados de 2017. Apesar dos inúmeros problemas, principalmente voltados à documentação, elas demonstram uma tecnologia muito promissora. Entregando não apenas memória RAM mas também a memória ROM. Que permite a utilização de mais recursos do firmware da impressora, seja ele Marlin ou Repetier.

A memória ROM é aquela que não é temporária. Ou seja, ela possui informações que ficarão lá em definitivo. Por exemplo o próprio firmware da impressora!

Placa controladora de 32 bits da Impressora 3D Creality Ender 3
Controladora de 32 bits para impressora 3D

Vamos ver isso na prática! Uma impressora 3D equipada com uma placa de 8 bits pode imprimir com qualquer tipo de material desde que a mecânica aguente. Porém, GCodes muito grandes farão o hardware sofrer. Em alguns casos, isso pode até mesmo afetar a peça como um todo. Mas não se preocupe, pois é um conjunto bastante confiável e testado à exaustão. Enquanto que a mesma impressora, equipada com uma placa de 32 bits pode executar algumas outras tarefas além da impressão.
Fora que, os recursos extras aqui disponíveis podem fazer com que as partes mecânicas da impressora possam ser melhor usufruídas e gerando peças mais precisas.

Bom pessoal, espero que tenham gostado de aprender mais sobre as controladoras de 8 e 32 bits!

Os vejo numa próxima vez! =D

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *