É o fim do Balena Etcher? Novo Raspberry Pi Imager 1

No dia 05 de março de 2020 a Raspberry Foundation lançou o Raspberry Pi Imager. Um utilitário para gravação de imagens em SD Card. Muito parecido, para não dizer um clone, do Balena Etcher já conhecido e querido pela comunidade. Mas com facilidades para gravar imagens para o seu principal produto a Raspberry Pi. Nesse artigo vamos analisar as diferenças entre o dois e tentar responder: será o fim do Balena Etcher?

Balena Etcher x Raspberry Pi Imager

Balena Etcher x Raspberry Pi Imager

Como dito na introdução, a primeira vista os dois utilitários, são bem parecidos. Mas a similaridade começa a desaparecer durante a análise e o uso. Vou listar a seguir alguns quesitos que achei relevante de diferenças entre os dois.

Plataforma / Framework

Para começar a comparação vamos verificar o quesito plataforma/framework utilizado por cada um. Os dois são open source, então não vou levar esse quesito em comparação. Segue o repositório dos projetos:

Conferindo o código fonte dos utilitários podemos notar que o Balena Etcher usa o Electron por debaixo do panos. Ou seja HTML / CSS / JavaScript em um chrome v8 com uma API para acesso das chamadas do SO. Enquanto o Raspberry Pi Imager usa QT, mas não com os elementos de UI padrão do QT e sim widgets QML. Bom, nem preciso falar que o QT dá um “pau” de performance no Electron.

Formato de Distribuição

Outra diferença é o formato de distribuição da aplicação para Linux. (E é bom ressaltar que as análises aqui estão sendo feitas no meu sistema operacional do dia a dia, um Linux distro Debian).

O Balena Etcher é um AppImage enquanto o Raspberry Pi Imager é distribuído em formato .deb. O pacote .deb do Raspberry Pi Imager pode ser instalado em distribuições que aceitem esse formato de pacotes. Mas na página para download fica claro que o pacote foi testado, e recomenda-se, sua instalação para sistemas Linux apenas em distros Ubuntu (Lembrando novamente que estou realizando os testes em um Linux.

O Raspberry Pi Imager também tem instaladores para Windows e macOS). Nesse quesito quem leva a melhor é o Balena Etcher. O AppImage é um formato de distribuição de aplicações para Linux que é portável, não depende de distribuição, ou seja roda em Debian, Ubuntu, Red-Hat e qualquer outra, basta executar o arquivo para tudo estar rodando lindamente.

Experiência de Uso

A UI dos dois utilitários é bem moderna e agradável aos olhos. Eu pessoalmente prefiro temas escuros, então daria o ponto facilmente para o Balena Etcher no quesito interface de usuário. Mas, vou dar como empatado nesse quesito, porque é um ponto que leva muito em consideração o gosto pessoal.

Balena Etcher vs Raspberry Pi Imager - Experiência de uso

Vou focar aqui na experiência de uso que tive utilizando os dois para gravar o Raspbian em um SD Card. Mas o relato de uso vai ter um foco maior no Raspberry Pi Imager pois o Balena Etcher eu já uso a tempos e acredito que muitos de vocês, leitores, também.

Confesso que minha primeira experiência com o Raspberry Pi Imager não foi das melhores. Instalei o pacote .deb no meu Debian, de teimoso porque a opção é apenas para Ubuntu. O pacote foi instalado com sucesso, mas ao rodar a aplicação ela já abriu reclamando com uma mensagem de erro:

Raspberry Pi Imager - Experiência de uso

Executei uma pesquisa rápida da mensagem de erro no código fonte e achei que o “OS list” do erro é carregado de dados JSON do seguinte endereço: https://downloads.raspberrypi.org/os_list_imagingutility.json

Que se acessado pelo navegador retorna com sucesso os dados JSON. Mas por alguma razão na aplicação, rodando em meu Debian, não está funcionando. A gambiarra para resolver isso é rodar o Raspberry Pi Imager com o comando:

rpi-imager --repo http://downloads.raspberrypi.org/os_list_imagingutility.json

O argumento –repo vai modificar o endereço padrão que a aplicação busca pelo OS list por um endereço passado ao argumento. Ué, mas o que mudou no endereço? Apenas o protocolo seguro do HTTP. Foi uma sacada com experiências desse bug no passado, em que aplicações não conseguem se conectar com sucesso a URLs via HTTPS. Mudando o endereço de https para http já resolve o problema.

Raspberry Pi Imager - Experiência de uso

Um ponto negativo que senti ao utilizar o Raspberry Pi Imager foi a “demora” para gravar a imagem na primeira vez, e olha que a opção que selecionei foi a da menor imagem, o Raspbian Lite. Tudo bem que ele faz os dois passos, download da imagem e gravação do SD Card de uma vez só. Mas achei que o indicador de processo foi mal implementado e ajudou para que eu tivesse essa má experiência.

Quando você começa a gravação o indicador apenas mostra “Writing… 0%”. Ok, sabemos que ele não está só “escrevendo” mas também baixando a última imagem do Raspbian. Talvez se o indicador fosse separado em “Downloading …” e “Writing …” não teríamos essa experiência de “demora” no processo como um todo.

Raspberry Pi Imager - Experiência de uso

Mas o problema da “demora” parece desaparecer após a primeira gravação, uma vez que a imagem selecionada já está baixada e o Raspberry Pi Imager tem apenas que grava-la no SD Card.

Raspberry Pi Imager - Experiência de uso

Para gravar uma imagem utilizando o Balena Etcher temos que primeiramente realizar o download da mesma ou selecionar uma imagem que já temos no nosso disco:

Balena Etcher - Experiência de uso

O Raspberry Pi Imager também dá essa possibilidade pela opção “Use custom”:

Raspberry Pi Imager - Experiência de uso

Estabilidade

Nesse quesito o Balena Etcher leva a melhor. O Raspberry Pi Imager tem bugs e não está muito estável. Durante a minha experiência de uso aconteceram alguns bugs na UI, alguns erros durante a gravação do SD Card e um falso positivo de verificação, a Raspberry Pi não inicializava, mas a verificação durante a gravação deu sucesso. É uma aplicação recém lançada e ainda vai ter que receber melhorias durante o tempo.

Funcionalidades Extras

Além de ter a opção de download, sempre da última versão do Raspbian de forma transparente para o usuário, em conjunto com a gravação, que o Balena Etcher não tem, o Raspberry Pi Imager também tem algumas funcionalidades extras. Como o “Erase” que realiza uma formatação rápida do SD Card:

Funcionalidades Extras

E a opção do repositório, o OS list, customizado. Por exemplo se você não grava SD Cards com o Raspbian padrão, mas sim com uma imagem customizada ou uma imagem gerada pelo Yocto por exemplo. Você pode escrever um JSON, com base no JSON do endereço utilizado pela aplicação, customizando as imagens para serem baixadas, nomes e ícones. Eu fiz um teste aqui coloquei um list.json customizado no meu apache localhost e rodei a aplicação com o comando:

rpi-imager --repo http://localhost/imager/list.json

Agora tenho um menu com as minhas imagens customizadas para serem utilizadas com o Raspberry Pi Imager:

 Funcionalidades Extras

Minhas Conclusões

A ideia do Raspberry Pi Imager é muito boa. Mas é a hora de desinstalar o Balena Etcher? Na MINHA humilde opinião a resposta para essa pergunta ainda é NÃO.

Os pontos de maior consideração para o Raspberry Pi Imager “pegar” de vez, na MINHA opinião, são de talvez mudar de pacotes .deb para AppImage, assim se tornar independente com relação a distribuição Linux em que estiver rodando, e o principal: ESTABILIDADE. O Raspberry Pi Imager ainda é muito novo, precisa de melhorias e mais testes, precisa amadurecer. Mas com certeza é um grande candidato a Balena Etcher “killer”.

Não sei quais os planos de negócios da Raspberry Pi Foundation para o Imager. Só sei que não há almoço grátis. Talvez seja apenas mais uma ferramenta, sem maiores ambições. Ou talvez, e aqui é tudo especulação, seja um movimento de mercado. A Balena, a empresa por de trás do Etcher, tem um reconhecimento bastante abrangente por usuários de Raspberry Pi pelo mundo afora por causa de sua ferramenta de gravação.

Outra opção que pode ter seu valor nessas aplicações “gratuitas” é a telemetria, acaba que você compartilha dados do que anda gravando, que sistema operacional está utilizando e outros durante o uso. O que eu não acho errado quando é consentido. Esses dados ajudam as empresas na tomada de decisão para seguir com seus planos de negócios. Por isso jovens, sempre leiam o README o LICENSE e verifiquem as opções de telemetria que os programas trazem com eles, lógico se você se importar com isso.

Essas foram as MINHAS primeiras impressões. E você, testou, o que achou? Quais foram suas impressões? É o fim do Balena Etcher para vocês? Nem usa o Balena Etcher? Tem outra opção que gostaria de compartilhar? Deixe aqui nos comentários!

Abraços Matheus Castello.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Um Comentário

  1. Gostei do seu artigo.
    Sabe me dizer se a raspy pi4B+ funciona somente com um leitor de cartão em uma das 4 portas USB, sem o cartão conetado no seu leitor de micro SD,“ derreteu o cartão de 16GB´´.
    Sabe me dizer como é feita a leitura do micro Sd na raspy em seu leitor convencional , inserido por baixo da placa ,ou seja, não vi contato físico do micro SD com a placa, será leitura óptica?
    As placas super aquecem, chegam a temperaturas altas, a ponto de derreter o SD, mesmo com a ventilação por culler.

    Cid de Aguiar Rezende Rezende