Eletrônica e Impressão 3D Deixe um comentário

O produto mais corriqueiro quando pensamos na integração da Impressão 3D com placas de desenvolvimento e outros componentes eletrônicos é uma case! E, apesar de parecer um projeto trivial, todo Maker com uma boa bagagem já pensou em fazer um suporte personalizado que atendia a objetivos muito específicos de um projeto. Converse com um projetista que passa horas quebrando a cabeça para conseguir montar uma plaquinha em um equipamento eletrônico e você vai se convencer de que o uso mais simples de uma impressora 3D pode ser altamente eficiente.

Integrando Eletrônica e Impressão 3D na Educação

Algumas escolas da Finlândia adotaram uma postura radical há alguns anos quando deixaram de utilizar a escrita manual. A partir de um determinado momento, todos os trabalhos eram feitos em tablets ou computadores e os alunos não tinham qualquer contato com lápis ou caneta. A decisão pode nos deixar perplexos, mas não parece incoerente. A escrita manual é um tecnologia que nos permitiu registrar e transmitir conhecimento entre as pessoas por muitas gerações. Nos dias atuais, esse processo foi substituído por arquivos digitais e equipamentos tecnológicos. Até podemos refletir sobre a importância da escrita no desenvolvimento do controle motor fino, mas não temos como negar que parece contraproducente o acúmulo de folhas de papel com conteúdos que serão rapidamente descartados.

E, nesse sentido, a fabricação digital, a programação, a automação, a robótica e a inteligência artificial já são competências indispensáveis para os profissionais do futuro. Para prepararmos as pessoas para acompanharem e avançarem nessas áreas, faz mais sentido adotarmos uma perspectiva da abundância e do que da escassez. Não nos cabe analisar no detalhe quais são as possibilidades das novas tecnologia e fazer um cálculo pormenorizado de custo/benefício. E sim, proporcionar ambientes criativos e adequados para que as pessoas possam se aventurar por esses universos e inventarem o que ainda não foi imaginado.

Afinal, o que podemos criar com essas novas tecnologias? Dentro do contexto pedagógico, talvez a melhor resposta seja tudo o que quisermos, até que não seja mais possível. Não temos como prever ou quantificar o que uma criança que teve contato com Impressão 3D e eletrônica nos anos iniciais vai inventar quando adulto. O que sabemos é que precisamos urgentemente desenvolver alternativas que nos permitam superar os desafios sociais e ambientais decorrentes de um modelo produtivo já antiquado.

Dentro da FilipeFlop temos engenheiras, designers e projetistas esticando os limites dessa integração constantemente, e todos os meses criamos novas possibilidades. Para conhecer um pouco sobre as possibilidades confira os artigos da BlueBox. E conferir no vídeo abaixo um pouco sobre essa história.

Projetos eletrônicos de pequena escala

Existe uma variedade enorme de produtos que muitas vezes não são percebidos por pessoas não especialista. Talvez elas estejam mais distantes das nossas rotinas em função da pandemia, mas se formos olhar com atenção as possibilidades de integração entre Impressão 3D e Eletrônica estão em todos os lugares. Existe um conjunto grande de empresas que desenvolvem produtos tecnológicos, mas que não possuem escala para utilizarem peças injetadas.

Um exemplo disso são as empresas de marketing e publicidade que utilizam displays e dispensers personalizados para campanhas específicas, sejam elas sazonais ou não. Nesses casos, o volume de peças fabricadas não justifica o investimento em uma matriz de injeção. Ao mesmo tempo, o projeto de montagem dos componentes geralmente demanda uma geometria complexa e as propriedades isolantes dos polímeros.

Monitorando a impressora remotamente

Se o encontro mais simbiótico entre as duas tecnologias pode criar produtos mais complexos e cheios de possibilidades, o conhecimento sobre eletrônica pode tornar a Impressão 3D mais inteligente. Um pequeno fabricante ou um hobbista pode incorporar mais recursos tecnológicos às suas impressoras, ao seu ambiente de trabalho e estoques de filamentos e resinas.

Podemos utilizar uma Raspberry Pi ligada a uma câmera e conexão com internet para implementar um sistema que nos permita acompanhar o processo de impressão e enviar comandos para impressoras mesmo à distância. Através da utilização da OctoPrint, em conjunto com a Raspberry Pi, podemos enviar arquivos para a impressão remotamente, monitorar o andamento de nossa impressão em tempo real e, caso necessário, também interrompê-la. Isso nos dá maior flexibilidade de trabalho e evita maiores perdas, tornando a produção mais inteligente.

Criando uma estufa controlada para impressora

Utilizando tecnologias mais simples podemos montar um câmara controlada para as nossas impressoras. Com uma placa Arduino e alguns sensores é possível monitorar e controlar a temperatura e umidade dentro de uma câmara de impressão. Esses recursos nos permitem obter um ambiente controlado simplificado a impressão de filamentos mais difíceis. Ou, inclusive, melhorar a qualidade geral das peças e evitar perdas, tendo em vista que a padronização das características físicas do ambiente garante o resultado final.

Por onde começar?

Uma boa forma de exercitar as possibilidades de integração entre Eletrônica e Impressão 3D sãos projetos da BlueBox, que já mencionamos anteriormente. Mas também possuímos conteúdos em nosso Blog que vão ajudar as pessoas que possuem mais familiaridade com eletrônica a conhecerem e iniciarem os estudos e experimentações com Impressão 3D e vice-versa.

Se tiver alguma dúvida ou quiser sugestões de com estruturar uma trilha de conhecimentos, entre em contato através de alguns dos nossos canais que teremos prazer em ajudar!

Faça seu comentário

Acesse sua conta e participe