Fundação Raspberry Pi: confira o relatório anual 2017 Deixe um comentário

Recentemente a Fundação Raspberry Pi divulgou o seu relatório anual referente ao ano de 2017. Por ser uma organização sem fins lucrativos, todo ano ela divulga para a comunidade global um relatório contendo todas as suas iniciativas e os resultados obtidos com cada uma.

Neste post, fizemos um resumo geral sobre o relatório, pois entendemos que as informações nele contidas são relevantes para a comunidade Raspberry Pi em todo o mundo, inclusive aqui no Brasil. Por sermos revendedores oficiais da Raspberry Pi no país, resolvemos contribuir com a disseminação dessas informações, replicando o conteúdo do relatório neste post mais resumido.

Sobre a Fundação Raspberry Pi

Pra quem não conhece, a Fundação Raspberry Pi é uma instituição de caridade sediada no Reino Unido. Seu grande propósito é empoderar pessoas em todo o mundo para que possam moldar um futuro cada vez mais digital, onde todos sejam capazes de resolver problemas que realmente importam, além de prepará-las para os empregos do futuro.

Para que isso aconteça, a Fundação Raspberry Pi fornece computadores de baixo-custo e alto-desempenho, que as pessoas usam para aprender, resolver problemas e também se divertir. Também fornecem conteúdos educativos e desenvolvem recursos gratuitos para que todas as pessoas possam aprender sobre computação e como fazer coisas com computadores, além de treinar educadores que possam orientar outras pessoas a aprender.

Principais tópicos do Relatório Anual 2017 da Fundação Raspberry Pi

O relatório foi dividido em cinco tópicos principais: Computadores, Divulgação, Comunidade, Aprendizado e Governança & Parcerias. Para que o post não fique muito extenso, vamos abordar os primeiros três tópicos abaixo de forma separada. Mas, se você quiser ter acesso ao conteúdo completo do relatório (em inglês), basta clicar aqui.

Computadores

  • Desde o lançamento do seu primeiro produto, em fevereiro de 2012, 17 milhões de computadores Raspberry Pi já foram vendidos ao redor do mundo, estabelecendo uma comunidade global de makers digitais e educadores. Tratando-se apenas do modelo Raspberry Pi 3 Model B, foram vendidos 5 milhões de computadores em 2017.
  • Em fevereiro de 2017 foi lançado oficialmente o modelo Raspberry Pi Zero W, com conexão Wifi e Bluetooth integrados.
  • Em agosto foi lançado o Programa Revendedor Oficial Raspberry Pi em 50 países, incluindo o Brasil. Isso permitiu que os produtos da Raspberry fossem disponibilizados mais facilmente e com preços adequados em todo o mundo.
  • Empresas que utilizam Raspberry Pi em seus produtos passaram a contar com suporte estendido, permitindo também que os testes sejam executados mais rapidamente.
  • A Fundação Raspberry Pi recebeu o Prêmio MacRobert da Royal Academy of Engineering, no Reino Unido, um dos mais prestigiados prêmios nacionais.

Divulgação

A Fundação Raspberry desenvolve uma série de projetos com foco educacional, especialmente voltados para crianças e jovens. Abaixo, veremos as principais conquistas de cada um deles.

Astro Pi

O projeto Astro Pi permite que crianças e jovens tenham a oportunidade de desenvolver suas habilidades de computação criando programas para serem utilizados pelos astronautas na Estação Espacial Internacional. Dentre as principais conquistas do projeto em 2017 estão:

  • Expansão do programa para todos os 24 países membros associados à Agência Espacial Europeia. Com isso, 6.813 jovens passaram a fazer parte do Programa Astro Pi.
  • Introduziu a Missão Zero, onde programadores menos experientes podem criar programas simples, que mostram mensagens e gráficos para os astronautas a bordo da Estação Espacial Internacional. No total, foram 5.411 participantes divididos em 2.506 times.
  • Voltado para programadores um pouco mais experientes, o Laboratório de Missões Espaciais recebeu um número recorde de novos entrantes, sendo 1.402 participantes em 329 times.
  • As mulheres estão com tudo! 41% dos participantes do Missão Zero e 27% dos participantes do Laboratório de Missões Espaciais foram garotas.

Code Club

O objetivo do Code Club é oferecer aos jovens de 9 a 13 anos as habilidades de programação necessárias para que eles tenham sucesso em um mundo cada vez mais digital. As crianças aprendem a programar usando linguagens como Scratch, HTML/CSS e Python. Dentre as principais conquistas desse projeto em 2017 estão:

  • A rede de clubes cresceu 42%, ganhando 1.162 novos clubes no Reino Unido e 1.802 novos clubes internacionais, atingindo um total de mais de 10.000 clubes ativos.
  • A faixa-etária do programa foi estendida dos 9 aos 13 anos.
  • Foi lançado o primeiro curso online gratuito, chamado de Prepare to Run a Code Club, que atraiu mais de 1.000 participantes.
  • Foi realizado a primeira competição entre Code Clubs do Reino Unido e atraiu mais de 1.000 submissões.
  • Foram adicionados 151 projetos traduzidos ao “catálogo de projetos”, totalizando 340 projetos em 29 idiomas.

CoderDojo

O projeto CoderDojo dá aos jovens de 7 a 17 anos a oportunidade de aprenderem a programar criando websites, aplicativos, jogos, robôs, entre outros, explorando a tecnologia num ambiente seguro, criativo e social. Os clubes são liderados por voluntários e os jovens são estimulados a colaborarem uns com os outros, formando uma rede global. Dentre as principais conquistas estão:

  • Taxa de crescimento de 41% no número de novos “Dojos”.
  • Mais de 750 jovens participaram do evento anual “Coolest Projects”, realizado em Dublin (Irlanda), e puderam expor seus projetos para visitantes do mundo todo.
  • Mais de 150 voluntários do mundo todo participaram do evento anual DojoCon, realizado no Reino Unido.
  • Além do evento principal, ocorreram também os “DojoCon” regionais, realizados em 2017 no Japão, Austrália e Bélgica.
  • Apoiou o lançamento de conteúdos educativos gerados pela própria comunidade.
  • Criou e lançou doze conjuntos de recursos educacionais, focados no ensino de conceitos-chave de programação.
  • Organizou dois hackathons online para dar a oportunidade de outros membros da comunidade apoiarem na tradução de recursos do inglês para outras línguas.
  • Foi criado e lançado o guia “Empowering the Future”, com o intuito de aumentar a proporção de meninas nos clubes CoderDojo.

Pioneers

O programa Pioneers é uma série de competições que inspiram jovens makers a desenvolverem novas idéias e torná-las realidade com a ajuda e orientação de um mentor. A ideia é incentivar a criatividade e a experimentação e os times devem enviar um vídeo explicando a sua ideia e todo o processo de construção da mesma.

  • 971 jovens formaram 299 times e se registraram para fazer parte do programa.
  • 141 times conseguiram enviar os vídeos e expor suas ideias.
  • Ocorreram 3 competições temáticas em 2017: “Make us laugh”, “Make it outdoors” e “Only you can save us”.

Weather Station

O programa Estação Meteorológica oferece aos jovens a experiência de construir hardwares e programar softwares para criar experimentos meteorológicos do mundo real. A Fundação Raspberry Pi em parceria com a Oracle envia kits contendo os componentes necessários para os estudantes montarem suas estações meteorológicas, que captam informações do clima local.

  • 936 escolas receberam os kits da Fundação Raspberry Pi e da Oracle.
  • 42 países passaram a ter estações meteorológicas ativas.
  • 360 escolas foram registradas na base da Oracle.

Comunidade

A comunidade Raspberry Pi é enorme e está espalhada pelo mundo todo e algumas iniciativas são realizadas pela Fundação a fim de promover a interação entre todos os usuários da Raspberry Pi.

Raspberry Jams

Organizado pelos membros da comunidade, Raspberry Jams são eventos onde pessoas de todas as idades podem criar projetos com Raspberry Pi, compartilhar ideias, trabalhar em conjunto, apoiar umas às outras, divertir-se e aprender.

  • Em 2017 ocorreram 374 Raspberry Jams em 35 países diferentes.
  • 52 países no total já foram anfitriões de um Raspberry Jam.
  • 18.700 pessoas participaram dos eventos promovidos em 2017, sendo uma média de 50 participantes por evento.
  • A comunidade Raspberry Jam deu as “boas-vindas” a 11 países onde o evento foi realizado pela primeira vez.

Eventos

A partir de sua presença em grandes eventos, a Fundação Raspberry dissemina a cultura maker ao redor do mundo. Sua participação na Maker Faire e outros grandes eventos no Reino Unido e EUA (principalmente) é marcada pelas atividades práticas oferecidas em seus estandes, onde as pessoas podem realizar experimentos e obter uma série de informações sobre como aproveitar o que aprenderam com a ajuda dos programas
e recursos da Raspberry Pi.

Em 2017, mais de 13.600 pessoas participaram dos grandes eventos em que a Fundação Raspberry Pi estava presente.

Comunidades Online

Os Fóruns no site da Fundação Raspberry Pi são os lugares ideais para quem deseja buscar ajuda para seu projeto, discutir novos produtos e ferramentas ou para conhecer outros entusiastas. Os fóruns já contam com 1,2 milhões de posts e 221.000 membros ativos.

Muitas pessoas da comunidade também usam as redes sociais para compartilhar seus projetos e ajudar uns aos outros e a Fundação Raspberry Pi também está presente nessas mídias.

  • Instagram: 92.600 seguidores.
  • Youtube: 27.000 inscritos.
  • Twitter: 368.000 seguidores
  • Facebook: 310.000 fãs
  • Google+: 1,05 milhões de seguidores

É muita coisa feita em prol da comunidade! E temos muito orgulho em fazer parte deste ecossistema global, possibilitando o acesso a tecnologia de ponta em nosso país através dos produtos Raspberry Pi. 🙂

Aqui neste post trouxemos um compilado dos três primeiros tópicos abordados no relatório. Mas, caso você queira ler o documento completo, basta acessar este link.

Gostou deste post? Então deixe seu comentário logo abaixo! Em caso de dúvidas, caso queira trocar uma ideia, ou até mesmo dividir seu projeto, acesse nosso Fórum!

Fonte: Blog Fundação Raspberry Pi

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *