O que fazer com uma impressora 3D?

O que fazer com uma impressora 3D? Deixe um comentário

Há aproximadamente 10 anos atrás, a impressão 3D tornou-se algo popular e acessível a todos, vindo a ser rapidamente uma das vertentes mais frutíferas do movimento maker/DIY a nível mundial. A partir de impressoras 3D, criatividade e modelamento 3D, makers, hobistas e profissionais foram capazes de dar vida às suas ideias de dispositivos, gadgets, artigos de decoração e mais uma infinidade de coisas.

Quem entra no mundo da impressão 3D hoje, após a consolidação desta tecnologia no mercado e popularidade no mundo maker, pode ficar meio perdido: afinal, o que fazer ou imprimir, já que há uma quantidade gigantesca de modelos prontos para se imprimir?

Este post visa abordar justamente o que pode-se fazer com uma impressora 3D, a fim de mostrar a você, leitor, algumas das inúmeras (e não tão óbvias) possibilidades.

Expansão das fronteiras nas artes

O mundo das artes ganhou mais possibilidades com a impressão 3D. Artistas podem dar vida às suas obras criando esculturas e artefatos das mais diversas formas e complexidades, tornando assim a impressão 3D uma extensão de seu trabalho criativo. Embora num primeiro momento possa se pensar que o trabalho manual de uma obra e o toque pessoal do artista seria perdido em uma impressão 3D, deve ser considerado que foi o próprio artista quem modelou a peça conforme sua vontade e criatividade, logo a arte não foi “mecanizada”, e sim a impressão 3D virou um braço adicional do artista.

Ainda, há artistas buscando reconhecimento e popularidade a partir de algo muito interessante: a comercialização ou divulgação de suas obras via modelos 3D, permitindo que seus clientes/público-alvo possam imprimir suas obras de arte em casa e tê-las como se fossem compradas diretamente do artista em uma galeria de artes, por exemplo. Isso significa que o apreciador de artes pode ter contato com uma cópia fiel da obra, tal qual foi feita pelo artista, sem nem mesmo sair de casa.

Uma das artistas que aderiu a esta nova forma de divulgar, produzir e comercializar arte foi a norte-americana Kate Blacklock. Algumas de suas obras, impressas em cerâmica, podem ser observada na figura 1.

O que fazer com uma impressora 3D?
Figura 1 – esculturas da artista Kate Blacklock, impressa em cerâmica. Fonte: https://www.kateblacklock.com/3d-printed-ceramics

Se desejar mais informações sobre como a impressão 3D está impactando no mundo artístico, leia este artigo.

Em sites de modelos prontos de impressão (como o Thingiverse, por exemplo) há uma disponibilidade muito grande de esculturas e obras de arte para se escolher e reproduzir. Se você gosta de obras de arte, artigos de decoração e afins, vai se divertir muito com sua impressora 3D!

Trabalhos em engenharia

A engenharia, nas suas mais variadas sub-áreas, se beneficiou muito da impressão 3D. Para as engenharias mecânica, civil e aeronáutica, pode-se criar modelos ou réplicas de equipamentos, peças e dispositivos a partir de modelagens 3D (algo extremamente comum para os profissionais destas áreas) para fins de prototipação e testes reais – tudo isso de forma simples e rápida. Isso acelera bastante o desenvolvimento de projetos complexos, uma vez que permite visualização espacial fiel do que se quer construir e a também realização de ensaios e testes.

Ainda, na engenharia elétrica e eletrônica, encapsulamentos/cases podem ser facilmente prototipados, permitindo a prototipação de um produto completo (da elétrica e eletrônica até a mecânica) em casa. Dessa forma, pode-se desenvolver protótipos mais seguros e esteticamente mais bem feitos para testes em campo, uma vez que estes não possuirão suas conexões elétricas expostas. Veja na figura 2 um case que eu mesmo modifiquei para um projeto com o Módulo WiFi ESP32 com Suporte de Bateria, GPS e LORA 915MHZ.

O que fazer com uma impressora 3D?
Figura 2 – case para projeto feito com o Módulo WiFi ESP32 com Suporte de Bateria, GPS e LORA 915MHZ

Outro uso muito interessante na engenharia mecânica é a prototipação ou construção de peças que já não são mais fabricadas, a partir de modelagens 3D prévias. Isso permite que os mais variados equipamentos antigos (veículos, relógios, etc.) possam ser restaurados sem a necessidade de se fazer uma busca praticamente infindável por peças e se gastar horrores com elas devido à sua obsolescência no mercado. Veja na figura 3 a impressão 3D de uma manopla de câmbio de um veículo antigo, facilitando a restauração do mesmo.

O que fazer com uma impressora 3D?
Figura 3 – manopla de câmbio de um veículo antigo, já obsoleta, feita em impressora 3D. Fonte: https://www.slant3d.com/slant3d-blog/using-production-3d-printing-to-produce-obsolete-parts

A engenharia civil também inovou e fez algo bastante interessante com uma impressora 3D de dimensões gigantescas: casas completas impressas em 3D com concreto. Há estimativas de que, no futuro, casas de até 50m² possam ser completamente impressas em um só dia. Se quiser saber mais do assunto, veja esta matéria da Casa Vogue (Globo.com).

Uso de impressões 3D na medicina

Um dos mais interessantes (e nobres) uso de impressão 3D na minha opinião é o uso de próteses e outros dispositivos na medicina. Com os materiais, medidas de higienização e impressoras adequados pode-se imprimir desde dispositivos não-invasivos, tais como próteses que substituem o gesso na imobilização em casos de fraturas, até dispositivos invasivos, tais como alguns ossos e dentes. A figura 4 mostra alguns destes imobilizadores para substituir o gesso no caso de fraturas no antebraço e mãos.

O que fazer com uma impressora 3D?
Figura 4 – imobilizadores que substituem o gesso no caso de fraturas ósseas na mão e antebraço. Fonte: https://vejasp.abril.com.br/cidades/fix-it-startup-imobilizador-biodegradavel-mais-leve-que-gesso/

Para saber mais sobre o uso de impressões 3D na medicina, veja o webinar do Guilherme Razgriz feito com a FilipeFlop.

No caso de impressões caseiras, o uso em medicina é mais restrito (devido ao material comumente utilizado nas impressões não ser adequado para uso em medicina), porém ainda é possível. Pode-se imprimir réplicas (em escala natural ou reduzida) de ossos, dentes, órgãos, etc. para estudos de medicina e demonstrações em aula, algo que pode contribuir substancialmente na formação de médicos nas mais variadas áreas.

Uso de impressões 3D na culinária

A culinária é um segmento que também se beneficiou bastante da impressão 3D. Cortadores para biscoitos e outros utensílios de cozinha podem ser impressos e utilizados largamente na culinária, principalmente em confeitaria. Se você gosta de cozinhar, aposto que vai usar bastante sua impressora 3D!

Aqui, um cuidado especial deve ser tomado: os materiais utilizados na impressão devem ser food-safe, ou seja, devem ser adequados para entrar em contato com alimentos. Portanto, antes de fazer algo para uso culinário, pesquise e adquira um filamento ou material adequado para uso com alimentos.

Uso de impressões 3D para pets

Outro uso muito interessante da impressora 3D é em brinquedos e alimentadores para nossos queridos e amados pets. Afinal, nada melhor que fazermos nós mesmos brinquedos, mimos e alimentadores para nossos animais de estimação, concorda?

Há na Internet uma infinidade de modelos (grande parte deles gratuitos) de brinquedos e alimentadores para pets, bastando você escolher o que mais lhe agrada e imprimir. Ainda, se você estiver com a criatividade em alta, pode criar ou customizar seus próprios utensílios para seus pets, criando algo exclusivo para eles. Veja na figura 5 um exemplo de brinquedo para gatos feito em uma impressora 3D.

O que fazer com uma impressora 3D?
Figura 5 – brinquedo para gatos feito em impressora 3D (fonte dp projeto e imagem: https://www.thingiverse.com/thing:1081531 )

E aí, bora fazer os animais de estimação mais felizes usando a impressão 3D?

Conclusão

A impressão 3D permite a você criar e reproduzir praticamente tudo. É como ter uma mini-fábrica em casa, operando sob suas ordens e necessidades.

Com uma impressora 3D é possível fazer desde artigos de decoração e obras de arte até coisas complexas de uso em engenharia e estudo de medicina, ou seja, quase não há limites para o que se pode fazer com uma impressora 3D.

Faça seu comentário

Acesse sua conta e participe