Pilhas e Baterias: Conheça os principais tipos 10

Pilhas e baterias tem o mesmo princípio de funcionamento, gerando energia por meio de uma reação química. Neste post vamos mostrar os tipos mais comuns desse tipo de fonte de energia, ajudando você a escolher a mais adequada aos seus equipamentos e projetos.

Pilhas comuns

As pilhas comuns possuem um fio condutor, que realiza a transferência de elétrons de um metal que tem a tendência de ceder elétrons para um outro metal que tem a tendência de ganhar elétrons. Quando os pólos positivos e negativos da pilha são ligados externamente, ocorre uma reação química em que o pólo positivo libera elétrons que atravessam o circuito.

Esse tipo de pilha é capaz de fornecer energia até que o potencial para realizar a reação química se esgote, não podendo ser recarregada.

Pilha comum zinco

Na imagem acima temos os 2 eletrodos, sendo que o positivo (barra de grafite) é chamado de catodo, e o negativo (Zinco), de anodo. Essa barra de grafite é envolvida por vários materias, como carvão, dióxido de manganês e uma pasta úmida, que na pilha comum é feita com Cloreto de Amônio (NH4CL), Cloreto de Zinco (ZnCL2), sais de caráter ácido e água.

Esse tipo de pilha geralmente fornece um valor baixo de corrente, sendo indicado para uso em aparelhos como relógios de parede, controle remoto e brinquedos.

Pilhas Alcalinas

As pilhas alcalinas seguem o mesmo princípio das pilhas comuns, mas usam como pasta úmida o hidróxido de potássio.

Pilhas Alcalinas

Essa substância realiza a transferência de elétrons com mais facilidade, armazenando uma maior quantidade de energia e consequentemente por um tempo maior do que uma pilha comum.

Assim, as pilhas alcalinas tem em média entre 50 e 100% à mais de energia do que as pilhas comuns, sendo indicadas para equipamentos como players de CD/DVD, MP3, rádios, lanternas e câmeras digitais.

Bateria de Níquel Cádmio

A bateria de Níquel Cádmio foi o segundo tipo de bateria recarregável a ser desenvolvido. Nela, os pólos positivo e negativo estão no mesmo recipiente, com o positivo (anodo) coberto de hidróxido de níquel, e o negativo coberto de material sensível ao cádmio, ambos isolados por um separador. Os dois pólos são envolvidos por uma substância eletrolítica, geralmente uma solução de Hidróxido de Potássio.

Baterias Níquel Cadmio NiCd

Essas baterias eram muito utilizadas em telefones celulares e telefones sem fio, e foram gradualmente sendo substituídas por baterias de hidreto metálico de níquel (NiMH), ou de Ion-Lítio.

Baterias de Níquel Cádmio são cada vez mais raras de se encontrar, pois além de muito poluentes, tem menor capacidade de armazenamento e menor vida útil, além de sofrer de um problema chamado “efeito memória”. Nessa bateria, o ideal é que ela seja completamente descarregada antes de uma nova recarga.

Baterias de Ion-Lítio

A bateria de Ion-Lítio é um tipo de bateria recarregável muito utilizada em equipamentos portáteis, como telefones celulares e câmeras digitais, armazenando o dobro de energia de uma bateria de hidreto metálico de níquel (ou NiMH), e três vezes mais que uma bateria de Níquel Cádmio (NiCd).

Bateria Ion Litio

Uma das grandes vantagens desse tipo de bateria é a ausência de “efeito memória”, ou seja, você não precisa esperar que a bateria esteja totalmente descarregada para efetuar uma nova recarga. A bateria de Ion-Lítio suporta centenas de ciclos de carga/descarga.

A bateria de Ion-Lítio também é bastante leve e segura, por ser hermeticamente fechada, e tem uma durabilidade aproximada de 3 anos, quando começa a perder a eficiência. Cuidados especiais devem ser tomados com esse tipo de bateria, pois ela é extremamente sensível ao calor.

Baterias de chumbo-ácido

As baterias de chumbo-ácido, geralmente usadas em automóveis, são formadas internamente por 6 “pilhas” de 2V, totalizando 12V. Em cada pilha o pólo positivo (catodo) é formado por placas de chumbo revestidas com óxido de chumbo (PbO2), e o pólo negativo (anodo) é formado por placas de chumbo. Os dois pólos são mergulhados em uma solução de ácido sulfúrico.

Bateria comum chumbo-ácido

Durante o carregamento, a reação química que gera energia faz com que ocorra perda de água, o que faz com que esse tipo de bateria necessite de manutenção constante e reposição de água destilada para que ela não perca a eficiência.

Para resolver esse problema, foi criada a bateria selada.

Bateria Selada

Na bateria selada, é adicionado 0,07% de cálcio aos eletrodos de chumbo, o que diminui drasticamente a decomposição/perda de água. Além disso, essas baterias geram oxigênio no eletrodo positivo e hidrogênio no negativo, que se combinam para formar água.

Bateria Selada Rontek

Isso dispensa a manutenção periódica e faz com que a bateria permaneça com o mesmo nível de água durante toda a sua vida útil, que vai de 2 a 5 anos. Entretanto, devemos evitar situações de sobrecarga, pois nessa situação toda a água da bateria pode ser perdida, e consequentemente a bateria não pode mais ser utilizada.

Tanto as baterias de chumbo-ácido comuns como as seladas podem fornecer uma corrente muito maior em comparação com pilhas comuns, sendo utilizadas em situações onde seja exigida uma corrente maior, como o uso em automóveis, sistemas de iluminação, equipamentos hospitalares, sistemas de alarmes, lanternas, no-breaks, etc.

Gostou? Ajude-nos a melhorar o blog atribuindo uma nota a este tutorial (estrelas no final do artigo) e visite nossa loja FILIPEFLOP!

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 Comentários

  1. Boa idéia explicar cada tipo de pilha/bateria. Gosto dos seus artigos.
    Faltou comentar sobre as baterias de polimero/lítio e Ferro/ Lítio que apresentam pronta entrega da sua potência ( tensão versus corrente), sua sensibilidade ao consumo abaixo de um limite mínimo ( Não confundir com efeito memória); e, principalmente, sua periculosidade quanto a se inflamarem ( Fiz alguns testes e uma pequena bateria 2S 7,4V 1000mah podem iniciar grandes incêdios).

    1. Bom dia Alfredo,

      Muito obrigado pela sugestão e pelas informações. Cuidado aí nos testes. 🙂

      Abraço!

      Adilson – Equipe FILIPEFLOP

  2. Material excelente, muito boa a ideia de publicar essa matéria, pois, existe muito mito e dúvidas, agora esclarecido muito bem. Parabéns….

    Renato Lobo Rodrigues
    1. Valeu Renato. Abraço!

      Adilson – Equipe FILIPEFLOP

  3. olá cara tudo bem?
    gostaria de uma ajuda sua
    Estou fazendo um projeto de tcc que é para automatizar a torneira da pia do banheiro e o chuveiro.

    Onde tenho um sensor para a torneira (que irá acionar um relé e consequentemente uma válvula) e outro para o chuveiro (que irá acionar um relé e consequentemente uma válvula) .

    Estou tendo problemas com a programação, não estou conseguindo juntar em uma mesma programação
    as duas variáveis de entrada (as entradas dos sensores-sensor01 e sensor02).
    obs.: testei com a programação deste tutorial (CONTROLANDO LÂMPADAS COM MÓDULO RELÉ ARDUINO ), MAS NÃO DEU CERTO.

    Segue a programação para você dar uma olhada e vê se estou no caminho certo:

    int sensor01 = A0;
    int sensor02 = A1;
    int rele01 = 3;
    int rele02 = 2;
    int estado_sensor01 = 0;
    int estado_sensor02 = 0;

    void setup() {

    pinMode(sensor01, INPUT);

    pinMode(sensor02, INPUT);

    pinMode(rele01, OUTPUT);

    pinMode(rele02, OUTPUT);

    }

    void loop()

    {

    estado_sensor01 = digitalRead(sensor01);
    estado_sensor02 = digitalRead(sensor02);

    //Sensor para pia

    if (estado_sensor01 = 1)

    {

    digitalWrite(rele01, HIGH);
    delay(1000);

    }

    if (estado_sensor01 = 0)

    {

    digitalWrite(rele01, LOW);
    delay(2000);

    }

    //CHUVEIRO

    if (estado_sensor02 = 1)

    {

    digitalWrite(rele02, HIGH);
    delay(1000);
    }

    if (estado_sensor02 = 0)

    {

    digitalWrite(rele02, LOW);
    delay(10000);

    }

    }

    Desde já agradeço
    qualquer coisa manda pra mim um email
    [email protected]

    1. Alyson, porque você está usando um if para ligar o rele e outro if para desligar ? Tente fazer com If Else.

      exemplo:

      if (estado_sensor02 = 1){
      digitalWrite(rele02, HIGH);
      delay(1000);
      }
      Else {
      digitalWrite(rele02, LOW;
      }

  4. Na primeira pilha, penso que troca o conceito de Catodo e Anodo.
    O Catodo será o polo Negativo e o Anodo o polo Positivo.

    Muito obrigado pelo excelente site com conteúdos fantásticos!

  5. Bom dia!! vocês poderiam incluir na loja virtual carregadores e baterias Lipo!

    1. Bom dia Felipe,

      Boa sugestão, estamos repassando ao depto. de compras.

      Abraço e obrigado!

      Adilson – Equipe FILIPEFLOP

  6. Obrigado. O conteúdo me foi bastante útil!