Raspberry Pi Zero W: configuração rápida para Rede e SSH 11

Uma notícia que foi muito bem recebida pelo nosso querido #BrasilMaker foi a de que a FilipeFlop é agora revendedora oficial da Raspberry Pi Zero Wireless! Acompanhei pelas mídias uma grande quantidade de pessoas comprando com felicidade a placa na loja. E agora vamos aos preparativos, esquentando as máquinas até a chegada dessa pequena grande maravilha em suas casas?! Então vamos lá!

Raspberry Pi Zero W e roteador Wifi

Esse tutorial que eu preparei pra vocês irá descrever como configurar a Raspberry Pi Zero Wireless para conectar a uma rede WiFi, e também estar com o SSH para conexão remota ativado. Apesar de o tutorial fazer uso de alguns programas diversos, o processo todo é prático – sem muitos e complicados comandos – bastando a edição de alguns arquivos no cartão de memória, ligar a placa e… pronto!

Materiais Necessários

  • Raspberry Pi Zero Wireless
  • Cartão MicroSD (recomendo fortemente 8GB ou superior, Classe 10!)
  • Adaptador USB para cartão microSD, para manuseio do cartão pelo computador.
  • Cabo microUSB (desses de celular)
  • Rede WiFi
  • Programa Win32DiskImager
  • Programa Advanced IP Scanner
  • Programa Putty para acesso via SSH
  • Esse tutorial toma por base um computador com Windows 7 ou superior.

Primeiro Passo – Download da Imagem Linux

A despeito de existirem diversas imagens Linux para Raspberry Pi, eu recomendo usar a boa e velha Raspbian, que é uma versão do Linux Debian modificada para a Raspberry Pi. Pois então, para o download da imagem que será gravada em um cartão microSD basta você ir neste link https://www.raspberrypi.org/downloads/raspbian/ e baixar o seguinte item mostrado na imagem abaixo:

Download Raspbian

Após isso, será dado início ao download do arquivo de imagem do sistema compactado em formato *.zip. Paciência! São 1.5 GB de pura emoção. Terminado o processo, descompacte o arquivo para extrair o mesmo no formato *.img, que é o formato que será utilizado pelo Win32DiskImager para gravação no cartão!

Segundo Passo – Gravação da Imagem no Cartão microSD

Para gravar o cartão microSD é importante ter primeiro uma forma de manusear o cartão no seu computador. Caso seja um notebook com entrada para cartão SD, é bom ter um cartão adaptador para microSD, e assim plugar o cartão na entrada. Ou, da forma mais comum, é bom ter um adaptador USB para cartão microSD. Insira o cartão no adaptador, e plugue o adaptador em uma porta USB disponível no seu computador. Observe que o Windows irá associar uma unidade de disco ao cartão!

Unidade USB

Beleza, temos cartão, o Windows identificou corretamente, até aí tudo certo. Agora precisamos do programa para gravar a imagem do Raspbian no cartão. Esse programa é o Win32DiskImager. Não vou cobrir aqui o processo de instalação, pois é muito simples! Basta baixar o arquivo (download neste link), abrir o instalador e seguir aquele fluxo normal (próximo, próximo, próximo…, ok?!).

Ok. Win32DiskImager instalado, é hora de abrir o programa (já instalado…) para fazer a gravação. Na janela do programa, certifique-se de ter selecionado a unidade de disco vinculada ao cartão microSD na opção “device“. Depois, clique no ícone de “pasta azul” para selecionar o arquivo *.img que descompactamos alguns passos atrás. Feito isso, clique (muita atenção aqui) no botão Write para ser então realizada a gravação da imagem no cartão. Uma janela de confirmação irá aparecer perguntando se você tem certeza de que quer realizar o processo – confirme e a gravação será iniciada.

Win32 Disk Imager

Paciência, mais outro processo que pode tomar alguns minutos. Terminado, observe se o programa irá retornar uma mensagem como a mostrada abaixo, indicado que tudo correu bem. Se sim, ótimo, vamos adiante!

Gravação OK

 

Configuração da Raspberry Pi Zero W para Acesso a Rede e SSH

Desmonte o cartão com segurança, e agora pluge novamente o adaptador ao computador. Com o cartão gravado, você irá observar que surgiu uma unidade de disco chamada “boot“. Veja na janela do Meu Computador abaixo:

É nessa unidade que iremos fazer o trabalho.

Antes disso, destaco que é importante que seu Windows esteja com a opção de exibir as extensões dos arquivos (pra mostrar se o arquivo é txt, mp3, mp4, doc, etc). Veja esse tutorial da Adobe neste link, mas recomento só pular a Etapa 6 (mostrar arquivos ocultos), mas fica a seu critério.

Usando o gerenciador de arquivos do Windows, abra a unidade do cartão microSD com nome “boot“. Dentro dessa unidade crie um arquivo sem extensão chamado “ssh“. Você pode fazer isso no Windows clicando com o botão direito do mouse, indo em “Novo -> Arquivo de Texto”. Aí no novo arquivo criado, renomeie para ssh e apague a extensão .txt. Veja como fica na imagem abaixo:

Arquivo SSH

Com isso, nós estamos dando um “comando” para o Raspbian aceitar requisições de acesso à Raspberry Pi usando protocolo SSH.

Lembrando, e isso será relembrado adiante também, as credenciais de acesso padrão para o Raspbian são:

  • usuário: pi
  • senha: raspberry

O que falta agora é criarmos um arquivo chamado wpa_supplicant.conf, também na unidade boot do cartão. O processo é quase o mesmo que o feito para o ssh, com a diferença que você irá apagar a extensão .txt do novo arquivo texto criado, e irá escrever exatamente wpa_supplicant.conf (.conf é a nova extensão). Para editar, basta clicar com o botão direito do mouse sobre o arquivo wpa_supplicant.conf, e ir na opção “Abrir com…” e selecionar um editor de texto de sua preferência. Dentro desse arquivo iremos colocar um texto no seguinte perfil:

Substitua NomeDaSuaRedeAqui pelo nome da sua rede WiFi, mantendo o nome entre aspas duplas, e substitua SenhaDaSuaRedeAqui pela rede cadastrada da sua senha, também mantendo entre aspas duplas.

Veja como é a edição no editor Notepad++.

Edição WPA Supplicant

Salve o arquivo e feche o editor de texto.

Desmonte o cartão com segurança! É importante, caso necessário você poderá ter problemas com arquivos corrompidos e ter que repetir tooooodo o processo, ok?

Desmontagem unidade

Desmontado o cartão, plugue na Raspberry Pi, e ligue ela pela porta de energia à uma porta USB do seu computador mesmo, ou uma fonte de 5V 2A, por exemplo.

Micro USB Energia

Observe que um LED Verde, localizado próximo à USB de Alimentação irá começar a piscar, é normal e esperado.

Identificação da Raspberry Pi na rede e acesso

Como a Raspberry Pi irá automaticamente fazer o acesso à rede WiFi configurada anteriormente, e no nosso caso não há nenhum display ou porta serial conectados, é preciso ter alguma forma de identificar qual o endereço IP que a Raspberry Pi assumiu ao se conectar na sua rede local. Para essa tarefa usaremos o programa Advanced IP Scanner. Caso não tenha esse programa, basta baixá-lo no link informado e seguir com a instalação (também próximo-próximo-próximo…). Terminado, abra o programa e clique no botão Scan para iniciar o processo de varredura – vamos localizar o IP da Raspberry Pi Zero Wireless!

Terminado o processo de varredura de IPs, o programa irá mostrar os endereços IPs de todas as máquinas conectadas em sua rede local. Se tudo correu bem, você irá encontrar um computador com o nome “raspberrypi.home“. Observe o endereço IP ao lado, anote ou grave esse endereço, pois agora vamos acessar (finalmente) a placa!

IP Scanner

Momento pergunta:

“Mas, André, ela já não apareceu como raspberrypi.home na minha rede? Então qual o motivo de procurar o IP dela?”

Resposta: Isso faz parte do processo, e eu esperava essa pergunta! Se sua rede WiFi local permite propagação de nomes DNS, vejam que a Raspberry Pi pode ser dinamicamente acessada pela url raspberrypi.home, não sendo necessário decorar o endereço IP dela 😉

De todo jeito, o uso desse programa mostra tanto que ela está conectada, como também o nome e IP, ou seja, é de todo útil sim.

Voltemos à programação.

Para acesso via SSH eu costumo usar o programa Putty, que é bem simples. Baixe o instalador dele nesta página (veja a parte “Windows Installer”) conforme seu Windows (32 ou 64 bits), execute o instalador e terminada a instalação, abra o programa.

Com o Putty aberto, insira no campo Host Name o endereço IP anotado. A porta (Port) é 22, assim como já está. Não é preciso mexer em mais nada, clique no botão Open.

Putty

Como SSH é um protocolo de comunicação segura, faz uso de chaves de autenticação. Dessa forma, irá abrir uma janela perguntando se você quer adicionar a chave da Raspberry Pi para acesso. Clique em Sim (Yes).

Putty Alert

Finalmente estamos no console Linux do Raspbian da Raspberry Pi Zero Wireless!

Login

Para autenticar seu acesso, digite as credenciais informadas anteriormente, a saber:

  • user: pi
  • password: raspbian

(Obs: A senha não irá aparecer enquanto você digita, isso é normal)

Acesso SSH Raspberry Pi Zero W

E pronto, agora sua Raspberry Pi Zero Wireless está conectada à sua rede WiFi local. Caso você tenha internet, ela também terá acesso à internet, e assim você poderá fazer instalação de novos programas e muito mais.

O que achou? Deixe aqui sua opinião!

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 Comentários

  1. Recomendo também o Etcher.io pra gravação da imagem do cartão SD. Parabéns pelo post André.

    1. Etcher realmente é muito bom, no macOS é o mais recomendado

    2. mm

      Também uso o Etcher e sempre recomendo. Simples, fácil, prático e sem imagens corrompidas.

      Giovanni Bauermeister
  2. Ótimo André, me poupou um tempinho tendo de acessar o wpa_supplicant.conf pelo nano 🙂

  3. Ótimo tutorial, muito bem explicado… Parabéns André Curvello… Sempre sigo seus posts!!

  4. Funcionou perfeitamente com a versão demonstrada no tutorial, as mais recentes não funcionaram se conectaram ao WIFI

    Versão do tutorial: http://downloads.raspberrypi.org/raspbian/images/raspbian-2017-04-10/

    1. as mais recentes não se conectaram ao WIFI*

      (Faltou um botão apagar/editar comentário)

      1. Para o Raspbian Stretch, o arquivo “wpa_supplicant.conf” deve ser configurado da seguinte forma:

        ctrl_interface=DIR=/var/run/wpa_supplicant GROUP=netdev
        update_config=1
        country=BR

        network={
        ssid=”NomeDaSuaRedeWiFiAqui”
        psk=”SenhaDaSuaRedeWiFiAqui”
        key_mgmt=WPA-PSK
        }

        Com relação ao nome do Raspberry, o Raspbian Stretch “ouve” no seguinte nome: “raspberrypi.local” e não “raspberrypi.home”. Caso, mesmo assim, não o achem, sugiro procurarem o endereço IP na lista de concessões de ips (lista de DHCP) do seu roteador WiFi. Basta procurar, nessa lista, por um mac address que comece com ” B8-27-EB ” e assim conectar, através do Putty, no endereço IP relativo ao mac encontrado.

        1. E o detalhe é que o Advanced IP Scanner não mostra, em nenhum momento, que o hostname corresponde a “raspberrypi.local”, mesmo minha rede suportando propagação de DNS.

  5. Pessoal, alguém conseguiu executar o passo-a-passo e conseguiu habilitar o WIFI e Bluetooth?? Recebi o produto do Filipeflop e não consegui colocar pra funcionar.

    Romulo Fagundes Cantanhede

Trackbacks and Pingbacks