BANNER_SLIDESHOW_DESTAQUEBLOG_DESKTOP_ Trabalhando com filamentos Flexíveis impressão 3d

Trabalhando com Filamentos Flexíveis Deixe um comentário

Filamentos flexíveis proporcionam um imenso leque de possibilidades dentro do universo da impressão 3D desde que você saiba como extrair todo o potencial que estes materiais tem a oferecer. Neste post você vai conhecer as principais características deste material e algumas dicas de como usá-lo. Curioso? Então continue lendo 🙂

Tipos de filamento flexível

Veja abaixo os tipo de de filamento flexível:

TPU (Termoplástico Poliuretano)

É um material resistente e flexível que pode apresentar diferentes graus de dureza (ajuste este determinado pelo fabricante). Esse material costuma lidar bem com temperaturas mais altas, permitindo a fabricação de peças sem grandes alterações no ambiente de trabalho. Após a impressão, entrega peças com incrível elasticidade e com boa resistência. 

TCP (Termoplástico Copoliester) 

Imagine ter tudo de bom que o TPU tem a oferecer mas com quase o dobro da resistência e ciclos de dobras? Prazer, este é o TCP!

Sistema Bowden

Em impressoras 3D com sistema Bowden a extrusora fica confinada a estrutura da impressora 3D distante do hotend. Isto faz com que o filamento, após passar pela extrusora, percorra o caminho até o hotend através do tubo de PTFE. O resultado prático e imediato é a diminuição da carga sobre o eixo X, possibilitando maior precisão e a impressão em maior velocidade. Porém, para filamentos flexíveis a consequência é a imediata diminuição da velocidade de impressão para evitar que o mesmo possa se sobrar ainda na extrusora tornando assim a impressão inviável.

Altura da primeira camada

Em impressoras com Sistema Bowden, a primeira camada deve ser realmente alta. Isso é fundamental para garantir boa aderência sob a mesa de impressão. A altura das demais camadas dependerá da resolução desejada para o seu trabalho. 

Material

Temepratura para filamentos flexíveis

Comecemos utilizando uma temperatura mais alta para a base e uma um pouco mais baixa para as demais camadas. Este ajuste contempla a maioria dos filamentos fabricados no Brasil e Ásia. 

Velocidade de Impressão

Quando falamos em impressão com filamentos flexíveis não existe outro caminho se não utilizarmos velocidade acima dos 25 mm/s sob o risco de o material literalmente se dobrar em volta da extrusora. 

Dica importante: Nos equipamentos de baixo custo tais como a impressora Creality Ender 3 ou similares, confira se a extrusora está bem ajustada. Caso contrário o filamento poderá patinar causando inúmeros problemas.

Como o modelo de extrusora MK8 não foi projetado para lidar com esse tipo de material e o Bowden só torna as coisas mais difíceis, aconselho a troca da extrusora original por uma com dupla engrenagem, o que tornará a tarefa de imprimir materiais com baixo grau de dureza muito mais simples. 

Extrusora de dupla engrenagem para filamentos flexíveis

Extrusora de dupla engrenagem, sendo a primeira montada diretamente sob a haste do motor de passo provocando assim um aumento considerável na tração do filamento.

Sistema Direct Drive

Como o próprio nome sugere, no sistema Direct Drive temos a condução direta do filamento da extrusora para o hotend sem passagem intermediária, já que ambos estão montados sobre o eixo X do equipamento. Neste sistema o eixo mais pesado perde um pouco da aceleração nominal adquirida mas se bem ajustadas permitem a impressão de materiais de baixos graus de dureza como por exemplo os filamentos flexíveis da Ninja Flex por exemplo. 

Velocidade de Impressão

Velocidade de impressão para filamentos flexíveis

Para Direct Drive os ajustes são praticamente os mesmos vistos para o Sistema Bowden. A única mudança significativa é uma maior liberdade no tocante a velocidade de impressão que pode ir até 40 mm/s para materiais de média dureza tais como os oferecidos pelos fabricantes de filamento nacionais. 

Adesão à mesa de impressão

Filamentos flexíveis

Filamentos flexíveis permitem a impressão sobre mesas sem aquecimento sem grandes dificuldades. Sempre utilize spray PVP extra forte (laquê), independente se a impressora é aquecida ou não.  

Gostou de conhecer e aprender a trabalhar com filamentos flexíveis? Deixe um comentário abaixo contando se você já trabalhou com este tipo de material e claro, as suas dúvidas!

Não deixe de continuar acompanhando essa incrível jornada rumo ao universo da impressão 3D no blog da FilipeFlop!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *