Criando aplicações Node-RED com Arduino 1

Nos últimos dois posts apresentamos como seria possível realizar acionamentos no Arduino através do Node-RED e também ensinamos quais devem ser os procedimentos voltados para efetuar a leitura das variáveis de entrada. Desta vez, elaboramos um post com o objetivo de unir os conteúdos já citados e também propor um novo tópico sobre a utilização de temporização nas aplicações desenvolvidas, para assim, finalizar esta parte de conceitos básicos utilizando o Node-RED com Arduino.

Se você não acompanhou os posts anteriores sobre Node-Red com Arduino, acesse os links abaixo:

Acionamento On/Off de uma saída digital do Arduino Uno

A partir deste momento, será demonstrado como o leitor deve proceder para realizar a criação de uma série de aplicações Node-RED com Arduino, onde a primeira delas consiste na criação do fluxo necessário para permitir que o leitor consiga acionar uma saída digital através do acionamento de uma das entradas digitais. Antes de prosseguir com os passos abaixo, lembre-se de que é necessário gravar o código escrito no exemplo StandardFirmata, no Arduino (este código aparece como um exemplo de aplicação da biblioteca Firmata).

O primeiro passo para atingir o objetivo desejado consiste em arrastar o nó de entrada do Arduino (apresentado na figura abaixo) da aba de nós para o ambiente de desenvolvimento.

Botão entrada

Após o procedimento anterior, a forma do em questão irá mudar automaticamente e passará a ter o formato apresentado na figura abaixo.

O segundo passo consiste em definir em qual porta COM (neste caso COM3) está conectado o Arduino UNO, o tipo do pino que será utilizado (se é digital ou analógico) e o número do pino que fará o papel de porta de entrada para as informações necessárias. Para configurar estes parâmetros, basta clicar duas vezes sobre o nó e defini-los conforme a figura a seguir.

Configuração Botão

O terceiro passo para a realização do acionamento proposto consiste em informar ao Node-RED qual deve ser o pino onde está conectado o elemento que por sua vez será acionado, como por exemplo, um led. Para efetuar este procedimento, deve-se arrastar o nó de saída para aplicações com Arduino UNO.

Assim como aconteceu com o nó de entrada, este também tem sua apresentação modificada quando é inserido no ambiente de desenvolvimento.

Para definir em qual porta COM (neste caso COM3) está conectado o Arduino UNO, o pino que será utilizado (pino 13) e o tipo de dado (digital, 0 ou 1) que será disponibilizado na saída em questão, deve-se clicar duas vezes sobre o nó e determinar os parâmetros conforme a figura abaixo.

Info Porta Com

O próximo passo para possibilitar que um sinal possa ser lido através pino de entrada digital 9 consiste em criar o fluxo adequado a partir da ligação dos nós apresentados até este momento.

Conexão botões

Em seguida, basta pressionar o botão Deploy para que a aplicação possa ser executada.

Deploy

Acionamento de uma saída digital do Arduino UNO via PWM

Neste momento, será apresentada a maneira de como deve-se proceder para realizar criar uma aplicação em que seja possível acionar um led via PWM a partir da utilização da leitura proveniente de um potenciômetro localizado em uma das entradas analógicas do Arduino UNO. O procedimento a ser realizado é praticamente igual ao demonstrado no item anterior, no entanto, deve-se alterar o nó de entrada com as seguintes configurações (observe que o potenciômetro em questão está conectado ao pino de entrada analógica A0):

Configuração botão analógico

Além disso, deve-se  também alterar os parâmetros do nó de saída utilizado anteriormente.

Saída analógica

Por último, deve-se entender que as leituras realizadas na entrada analógica proporcionam valores de 0 a 1023, correspondentes ao nível de tensão presente na porta utilizada, além disso, lembre-se que o parâmetro a ser inserido no PWM é um número inteiro de 0 a 255, portanto, torna-se necessário um nó responsável pela conversão dos valores de entradas nos valores de saída. Este é denominado Range.

Para realizar a conversão de valores deve-se clicar sobre o novo nó adicionado e modificar os parâmetros do mesmo conforme a figura abaixo:

Escalonamento

Por fim, liga-se os nós para obter o fluxo necessário para a realização da aplicação e clica-se no botão Deploy.

Aplicações temporizadas Node-Red com Arduino

Imagine agora que seja necessário criar uma aplicação em que, o valor do PWM utilizado no acionamento do led em questão, seja aplicado no mesmo somente alguns instantes de tempo após o potenciômetro ter sido girado. Para desenvolver esta tarefa torna-se necessário proceder com a utilização de um nó responsável por causar o atraso na propagação da informação. Sendo assim, o nó que será utilizado para o propósito descrito é o delay.

Delay

A configuração deste nó é bastante simples, basta apenas que o leitor diga qual é o tempo de atraso desejado na propagação da informação.

Editar botão delay

O próximo passo consiste em inserir o nó delay no fluxo previamente existente, conforme a figura abaixo.

Node-RED com Arduino

Agora, basta clicar no botão deploy e assim o valor utilizado no PWM será atualizado somente 5 segundos após a girada do potenciômetro.

Este foi mais um conteúdo que preparamos com bastante cuidado para você. Esperamos que tenha gostado deste artigo e lembre-se de deixar suas dúvidas, críticas e sugestões nos comentários abaixo

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Um Comentário

  1. O tutorial é muito bom, está me ajudando bastante pra aprender. Parabéns