Criando aplicações Node-RED com Arduino 2

Nos últimos dois posts apresentamos como seria possível realizar acionamentos no Arduino através do Node-RED e também ensinamos quais devem ser os procedimentos voltados para efetuar a leitura das variáveis de entrada. Desta vez, elaboramos um post com o objetivo de unir os conteúdos já citados e também propor um novo tópico sobre a utilização de temporização nas aplicações desenvolvidas, para assim, finalizar esta parte de conceitos básicos utilizando o Node-RED com Arduino.

Se você não acompanhou os posts anteriores sobre Node-Red com Arduino, acesse os links abaixo:

Acionamento On/Off de uma saída digital do Arduino Uno

A partir deste momento, será demonstrado como o leitor deve proceder para realizar a criação de uma série de aplicações Node-RED com Arduino, onde a primeira delas consiste na criação do fluxo necessário para permitir que o leitor consiga acionar uma saída digital através do acionamento de uma das entradas digitais. Antes de prosseguir com os passos abaixo, lembre-se de que é necessário gravar o código escrito no exemplo StandardFirmata, no Arduino (este código aparece como um exemplo de aplicação da biblioteca Firmata).

O primeiro passo para atingir o objetivo desejado consiste em arrastar o nó de entrada do Arduino (apresentado na figura abaixo) da aba de nós para o ambiente de desenvolvimento.

Botão entrada

Após o procedimento anterior, a forma do em questão irá mudar automaticamente e passará a ter o formato apresentado na figura abaixo.

O segundo passo consiste em definir em qual porta COM (neste caso COM3) está conectado o Arduino UNO, o tipo do pino que será utilizado (se é digital ou analógico) e o número do pino que fará o papel de porta de entrada para as informações necessárias. Para configurar estes parâmetros, basta clicar duas vezes sobre o nó e defini-los conforme a figura a seguir.

Configuração Botão

O terceiro passo para a realização do acionamento proposto consiste em informar ao Node-RED qual deve ser o pino onde está conectado o elemento que por sua vez será acionado, como por exemplo, um led. Para efetuar este procedimento, deve-se arrastar o nó de saída para aplicações com Arduino UNO.

Assim como aconteceu com o nó de entrada, este também tem sua apresentação modificada quando é inserido no ambiente de desenvolvimento.

Para definir em qual porta COM (neste caso COM3) está conectado o Arduino UNO, o pino que será utilizado (pino 13) e o tipo de dado (digital, 0 ou 1) que será disponibilizado na saída em questão, deve-se clicar duas vezes sobre o nó e determinar os parâmetros conforme a figura abaixo.

Info Porta Com

O próximo passo para possibilitar que um sinal possa ser lido através pino de entrada digital 9 consiste em criar o fluxo adequado a partir da ligação dos nós apresentados até este momento.

Conexão botões

Em seguida, basta pressionar o botão Deploy para que a aplicação possa ser executada.

Deploy

Acionamento de uma saída digital do Arduino UNO via PWM

Neste momento, será apresentada a maneira de como deve-se proceder para realizar criar uma aplicação em que seja possível acionar um led via PWM a partir da utilização da leitura proveniente de um potenciômetro localizado em uma das entradas analógicas do Arduino UNO. O procedimento a ser realizado é praticamente igual ao demonstrado no item anterior, no entanto, deve-se alterar o nó de entrada com as seguintes configurações (observe que o potenciômetro em questão está conectado ao pino de entrada analógica A0):

Configuração botão analógico

Além disso, deve-se  também alterar os parâmetros do nó de saída utilizado anteriormente.

Saída analógica

Por último, deve-se entender que as leituras realizadas na entrada analógica proporcionam valores de 0 a 1023, correspondentes ao nível de tensão presente na porta utilizada, além disso, lembre-se que o parâmetro a ser inserido no PWM é um número inteiro de 0 a 255, portanto, torna-se necessário um nó responsável pela conversão dos valores de entradas nos valores de saída. Este é denominado Range.

Para realizar a conversão de valores deve-se clicar sobre o novo nó adicionado e modificar os parâmetros do mesmo conforme a figura abaixo:

Escalonamento

Por fim, liga-se os nós para obter o fluxo necessário para a realização da aplicação e clica-se no botão Deploy.

Aplicações temporizadas Node-Red com Arduino

Imagine agora que seja necessário criar uma aplicação em que, o valor do PWM utilizado no acionamento do led em questão, seja aplicado no mesmo somente alguns instantes de tempo após o potenciômetro ter sido girado. Para desenvolver esta tarefa torna-se necessário proceder com a utilização de um nó responsável por causar o atraso na propagação da informação. Sendo assim, o nó que será utilizado para o propósito descrito é o delay.

Delay

A configuração deste nó é bastante simples, basta apenas que o leitor diga qual é o tempo de atraso desejado na propagação da informação.

Editar botão delay

O próximo passo consiste em inserir o nó delay no fluxo previamente existente, conforme a figura abaixo.

Node-RED com Arduino

Agora, basta clicar no botão deploy e assim o valor utilizado no PWM será atualizado somente 5 segundos após a girada do potenciômetro.

Este foi mais um conteúdo que preparamos com bastante cuidado para você. Gostou? Deixe seu comentário logo abaixo. Em caso de dúvidas, caso queira trocar uma ideia, ou até mesmo dividir seu projeto, acesse nosso Fórum!

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 Comentários

  1. O tutorial é muito bom, está me ajudando bastante pra aprender. Parabéns

Trackbacks and Pingbacks