Fatiador 3D: programas e principais configurações Deixe um comentário

O momento pós impressão é vital para garantir que o resultado final do seu projeto vai sair realmente como planejado, e vai ser através de um programa fatiador 3D que você vai mapear o trajeto que sua impressora vai seguir durante toda a produção.

O fatiador possibilita que o objeto seja desenhado camada por camada, através do protótipo digital.

Alguns podem pensar que esse é apenas um mero detalhe, porém é preciso ter atenção para escolher o programa fatiador de impressão 3D correto para conseguir conservar a qualidade e precisão da fabricação.

Neste post você vai descobrir quais são os programas ideias para você e as principais configurações dentro destes softwares para você não errar na hora de colocar seus projetos em prática.

Camadasfeitas no fatiador 3D
Camadas feitas no fatiador 3D

O que são fatiadores 3D?

O fatiador 3D é um programa que vai trabalhar como um tradutor do seu projeto para a impressora. Após inserir o arquivo (STL, M3F ou OBJ), o software vai converter esse arquivo original para um especial no formato GCODE, de forma a delinear as coordenadas em um painel tridimensional.
Isso quer dizer que o fatiador vai separar seu projeto em várias faixas horizontais e mapear o caminho que o bico da impressora 3D deve percorrer, linha por linha e camada por camada.
Além deste trajeto, no fatiador 3D você define:

  • Temperatura de mesa do bico;
  • Velocidade do bico;
  • Altura das camadas;
  • Quantidade de preenchimento;
  • Entre outros fatores.

Fatiador 3D e processo de impressão: passo a passo

Durante o processo de impressão do seu projeto, a “hora de fatiar” só vai chegar depois de você ter desenhado um protótipo num software de modelagem digital.
Isso quer dizer que você só colocará seu projeto no programa na segunda etapa do processo, conforme abaixo:

1º PASSO: MODELO 3D
2º PASSO: FATIAMENTO
3º PASSO: IMPRESSÃO
4º PASSO: FINALIZAÇÃO

imagem mostrando as etapadas até a impressão do objeto físico
Etapas até a impressão do objeto físico

Programas de fatiamento 3D

Ainda que você esteja utilizando uma impressora mais simples e iniciante, você conseguirá compensar esse fato ao escolher o programa certo de acordo com o seu planejamento.

Há diversas opções de programas e softwares de fatiamento 3D e grande parte deles são gratuitos.
Confira abaixo os melhores softwares de acordo com nossa equipe e descubra qual o fatiador 3D ideal para você.

CURA 3D

O Cura 3D é um software mantido pela Ultimaker e pela comunidade, que possui características bem marcantes: o mesmo é gratuito e de código livre.
Apesar de ser mantido por uma empresa privada, o software pode ser usado com qualquer impressora, pois inclui vários perfis já configurados, independente da marca.

Caso sua impressora 3D não esteja incluída na lista, ainda é possível criar perfis personalizados para uso.

captura de tela interface gráfica do Cura
Interface gráfica do Cura

O Fatiado 3D do Cura possui uma interface gráfica muito rica e confortável de utilizar, contando inclusive com tradução para o português (PT BR).

Em sua primeira execução, são exibidas poucas possibilidades de configuração, pois estas são mais focadas para iniciantes.

captura de tela Exibição de configuração padrão para impressão
Exibição de configuração padrão para impressão

Já para aqueles usuários avançados, o software oferece muitas opções de configurações, inclusive possibilitando a instalação de plugins para aumentar as capacidades do programa.

Para alterar o nível de configuração, basta acessar as configurações do fatiador, como demonstrado abaixo:

Lista de comandos disponíveis para usos avançados
Lista de comandos disponíveis para usos avançados

Além disso, o programa fatiador 3D ainda oferece opções de simulação da impressão, cálculo de custo e tempo de impressão, o que auxilia muito na produção e no planejamento.

Vantagens: interface gráfica rica, suporte a múltiplos formatos de arquivos (SLT, 3MF, OBJ), tradução, facilidade de uso, possibilidade de instalação de complementos e mais de 200 ajustes para manusear.

Desvantagens: processo de fatiamento relativamente lento, previsões de tempo e custo de impressão com pouca precisão, faltam algumas funcionalidades como suporte para OctoPrint.

SLICER 3D (SLIC3R)

Mesmo que o Slic3r não seja o software de fatiamento mais acessível, normalmente é o primeiro a ser utilizado quando iniciamos a jornada dentro da impressão 3D.

Essa preferência pode ser explicada pelo fatiador 3D Slic3r ter sido escolhido por muitos fabricantes de impressoras (principalmente as nacionais) pelo fato de ser um dos primeiros fatiadores de código livre a ser amplamente utilizado.

imagem mostrando a Interface gráfica do Slic3r
Interface gráfica do Slic3r

O Slic3r não dispõe de perfis prontos para utilização (a não ser se a fabricante da impressora inclua o perfil em sua documentação digital), assim, é necessário que seja feita uma configuração antes de começar a usar.

Tela de configuração apresentada na primeira execução do Slic3r
Tela de configuração apresentada na primeira execução do Slic3r

Depois de ajustar seu perfil, você tem acesso às configurações como altura de camada, padrão de preenchimento e demais itens, trazendo porém poucas possibilidades se compararmos o Slic3r com o Cura ou o Simplify.

O fatiador oferece possibilidade de pré-visualização do processo de impressão, mas traz informações muito básicas. Apesar do algoritmo ser simples, ele trabalha de forma eficaz em reparar malhas em arquivos STL, destacando-se pela velocidade de processamento, principalmente em computadores lentos e também por ser Open Source.

Um ótimo diferencial do Slic3r é ele ser compatível até mesmo com impressoras DLP, que também necessitam de fatiadores.

Caso queira conhecer mais sobre um fatiador para a tecnologia DLP, clique aqui leia o post “Conheça o Chitubox – O software fatiador das impressoras 3D de resina”.

Vantagens: Fatiador amplamente utilizado, grande compatibilidade com diversas impressoras, incluindo tecnologia DLP.

Desvantagens: processo de fatiamento lento, falta de informações de custo e tempo de impressão, necessidade de criação de perfil e interface gráfica pobre.

SIMPLIFY

O Simplify3D é o único fatiador em nossa lista de softwares de fatiamento 3D que não é gratuito, porém vale cada centavo de sua compra.

Contando com vários perfis prontos para impressoras 3D, o Simplify conta com a possibilidade da criação de um perfil customizado.
Mesmo que sua interface não seja tão bem trabalhada quanto a do Cura, ainda é uma interface limpa, organizada e intuitiva, suportando até tradução para o português (PT BR).

Esse fatiador 3D é recomendado para usuários mais avançados, tanto pelo seu custo, quanto pelo seu nível de configurações: é possível ajustar uma infinidade de parâmetros para o processo de impressão.

Configurações de impressão no Simplify
Configurações de impressão no Simplify

O Simplify contém vários algoritmos de correção de malha, para aqueles casos em que o arquivo STL contém defeitos que dificultam a impressão.

Uma de suas principais características é a facilidade com que alcança a qualidade superficial, assim como permite a construção e remoção dos suportes de impressão.

Outra grande vantagem do Simplify é a visualização de informações de impressão, desde sua simulação até o nível de exatidão na previsão de custo e tempo de impressão.

Vantagens: ótima qualidade de impressão, informações de tempo e custo de impressão mais precisa, interface gráfica rica, suportes fáceis de retirar após a impressão, grande variedade de algoritmos de tratamento de malha, tradução, simulação avançada de impressão.

Desvantagens: software comercial, sendo necessária sua compra.

PRUSA SLICER

Interface gráfica do Prusa Slicer
Interface gráfica do Prusa Slicer

O Prusa Slicer, assim como outros fatiadores 3D na nossa lista, é Open Source, sendo que aqueles que utilizam o programa a mais tempo podem elaborar suas próprias ferramentas e adicionar recursos diferenciados.

Este fatiador se encaixa em um grupo de poucos, pois é adaptado justamente para impressoras 3D de tecnologia FDM e também SLA/DPL.

Quem está iniciando vai ter acesso somente aos ajustes básicos, aqueles mais evoluídos que já tem familiaridade com o software conseguem regular todos os parâmetros da impressão.

Além da plataforma ser simples de utilizar, permitindo uma navegação mais intuitiva, você ainda conta com algumas funcionalidades extras, tais como possibilidade de consertar um modelo por meio dos serviços online da Netfabb, customizar suportes e calcular o tempo estimado de impressão.

Vantagens: permite que o usuário explore sua liberdade criativa, ao proporcionar diversas opções para retocar e ajustar modelos, de forma a aprimorar cada vez mais o projeto que será impresso.

CHITU BOX

Antes de tudo é preciso ter em mente que a ChiTu cria placas-mães para as principais impressoras 3D SLA econômicas. Isso significa que esse é o seu software perfeito caso você tenha uma impressora 3D de resina.

Com o fatiador 3D da ChiTu, você tem acesso a uma opção de “pré-visualização”, em que você pode conferir camada por camada, de forma que você compreenda exatamente o passo a passo da impressora na hora da criação.

Por oferecer um programa user-friendly, estruturas de suporte são incluídas intuitivamente durante a produção.

O diferencial da ChiTu não são necessariamente as funcionalidades disponíveis, e sim o esforço que eles fazem para tornar cada processo o mais simples possível, de forma a serem compreendidos até mesmo pelos mais iniciantes.

Talvez, um ponto negativo deste software específico é que ele é conhecido por dar alguns problemas de crashing algumas vezes.

Vantagens: o ChiTu Box apresenta uma interface intuitiva, que torna grande parte dos processos mais fáceis de compreender e utilizar. Extremamente focado na experiência do usuário.

Desvantagens: pode apresentar alguns defeitos relacionados a crashing em determinados projetos.

Comparação entre os fatiadores
Comparação entre os fatiadores

Como saber qual programa usar para imprimir 3D?

Cada um dos fatiadores aqui apresentados são utilizados por milhares de makers para produzir ideias todos os dias, e mesmo com suas vantagens e desvantagens são ótimas ferramentas para lhe auxiliar.

Porém, se você está escolhendo seu primeiro fatiador, aconselhamos aqui o Cura, o qual é fácil de utilizar, contempla funções para todos os tipos de usuários, tem código livre e economiza recursos como filamento.

Principais configurações do fatiador de impressão 3D

Na hora de configurar seus projetos, é preciso levar em consideração desde o tipo de impressora que você vai utilizar até o design da peça.

Por isso, para que você tenha o resultado esperado é necessário que você entenda pelo menos o básico sobre a segmentação dos dados e como pequenos detalhes podem impactar no produto final.

Como já explicado anteriormente, o programa fatiador 3D vai dividir em camadas seu projeto, fatiando um conjunto de partes em 2D dispostas uma sobre a outra, originando um objeto 3D.

Tendo estas informações em mãos, o fatiador 3D vai realizar cálculos para chegar na altura de cada camada, o número necessário de camadas, quantidade de material necessário para impressão e mais.

Cali Dragon no fatiador Cura
Cali-Dragon no fatiador Cura

ALTURA DA CAMADA

Se você planeja que seu projeto tenha um nível maior de detalhes, sua camada precisa ser mais fina, com uma resolução em torno de 0,2mm, para que as particularidades do projeto fiquem mais aparentes.

Por serem mais ricas em detalhes e pedirem um número maior de camadas, a impressão das mais finas levam um pouco mais de tempo e demandam paciência.

Caso você decida por camadas maiores, o projeto terá menos detalhes, mas a impressão será mais rápida.

PREENCHIMENTO

Nesta configuração você vai definir a densidade da peça (através de porcentagem), isso é, quanto vai ser impresso no interior do objeto.

Na hipótese de você estar projetando algo com porcentagem de 100%, o projeto será totalmente sólido, sem nenhum espaço dentro da casca, tornando o processo de impressão mais caro e lento.

Já, se você optar por configurar a densidade em 0%, a peça será oca com o interior vazio.

Para quem está projetando objetos mais compactos e firmes, o ideal é colocar a densidade entre 75% e 100%.

E para itens decorativos, aconselha-se que seja usada a densidade de preenchimento entre 10% e 20%.

Comparação: porcentagem de preenchimento
Comparação: porcentagem de preenchimento

VELOCIDADE

A velocidade da impressão, isso é, a rapidez com que a extrusora (o bico da impressora) preenche a peça enquanto aplica o filamento está diretamente ligada com o design e formato da peça, filamento utilizado, impressora 3D utilizada, altura da camada e resolução da peça.

Projetos mais simples podem ser produzidos a uma velocidade maior, por se tratar de objetos com poucos detalhes; impressões 3D mais complexas precisam ser configuradas a uma velocidade menor, em favor da qualidade.

Tenha atenção a essa configuração, pois a velocidade também vai afetar na aderência do filamento com as camadas do objeto.

Para saber mais sobre filamentos e como utilizar o certo na hora da impressão, clique aqui.

ESPESSURA DA CASCA

É nesta configuração que você vai definir quão resistente será seu projeto. Esta vai ser a parede exterior do seu objeto, e vai ser impresso antes da parte interior que você definiu na densidade.

Aqui, você determina quantas paredes vão ter no seu objeto, com base na previsão de durabilidade.

O número automático de cada projeto é 0,8. Caso sua peça seja meramente decorativa, não é ideal investir tanto na espessura, pois atrasaria o processo de impressão e pediria mais recursos.

RETRAÇÃO

Extremamente importante! Você precisa configurar a retração no seu fatiador 3D para garantir que o filamento seja puxado para dentro do bico assim que houver uma alteração de trajetória durante a criação da peça.

Desta forma, você evita que o material vaze durante esta movimentação e caia em outras peças.

A retração, assim como todos os outros, vai ser um diferencial no resultado final da sua peça, afetando no sentido de criação de strings e blobs.

Caso o projeto não contenha uma superfície descontínua, essa configuração pode ser desativada.

Para o próximo projeto

Para garantir que seu projeto vai ser bem sucedido e ter um resultado além do imaginado, é necessário modificar as configurações no seu fatiador 3D de acordo com os atributos do objeto.

Por isso, separe o tempo necessário para escolher seu fatiador e aprender suas principais configurações.

Antes de sair, conta para gente o que achou do post e como ele ajudou na criação do seu projeto! E para ficar por dentro de todas as novidades do mundo maker, componentes eletrônicos e impressoras 3D, siga FilipeFlop no Instagram.

Faça seu comentário

Acesse sua conta e participe