Conheça a Fórmula E, a competição de carros elétricos que já é realidade Deixe um comentário

Já pensou assistir a uma competição de carros elétricos, estilo Fórmula 1? Pois é, o campeonato mundial de carros elétricos da Federação Internacional de Automobilismo, a Fórmula E, já existe, está na sua quarta temporada e aconteceu recentemente em Nova York.

Mais do que uma simples competição, a Fórmula E é considerada um grande laboratório de testes, fazendo a indústria de carros elétricos avançar cada vez mais. Os carros foram construídos em módulos de forma proposital, permitindo que as equipes possam testar cada tecnologia embarcada ao extremo e tirar o máximo de desempenho disso. Sabe em quantos segundos o carro chega a 100km/h? Apenas 3!

fórmula e

Créditos: FIA

Como funcionam os carros da Fórmula E

A bateria é a principal parte dos carros movidos à eletricidade e, de acordo com a regra, todas as equipes devem utilizar exatamente a mesma bateria de 200 quilos de células de íon-lítio. O campo magnético gerado pelas correntes elétricas faz o motor funcionar e seu giro pode chegar a 20 mil rotações por minuto.

Algumas orientações também precisam ser seguidas à risca na Fórmula E. Faz parte da regra usar no máximo 28 kilowatt-hora de energia e o máximo de potência que os carros podem produzir é: 200 kilowatts durante o treino e 180 kilowatts na hora da prova. Tudo isso é acompanhado em tempo real através de sistemas de telemetria.

Apesar de já terem passado por grandes evoluções ao longo do tempo, as baterias ainda possuem limitação de recarregamento, resistência e distância alcançada. Por isso, durante a parada nos boxes (que é obrigatória pelo menos uma vez) ainda não é possível recarregar as baterias e o piloto simplesmente troca de carro para completar a prova.

Um elemento à parte na Fórmula E são os pneus. Criados exclusivamente para a categoria, os pneus da Michelin foram pensados para otimizar a eficiência energética e garantir a mesma performance com a pista seca ou molhada. No pit stop, nada de trocá-los! O mesmo jogo de pneus é usado para os treinos livres, treino de qualificação e a própria corrida. E mais, todos eles contam com um chip RFID embutido, permitindo rastrear todo o seu ciclo de vida.

A Fórmula E parece ter vindo pra ficar e evoluir cada vez mais. Segundo Frank Mühlon, chefe global de carregamento de veículos elétricos da ABB, “o carro elétrico é um veículo normal que pode percorrer longas distâncias, com alta velocidade e resistência. É por isso que achamos que a Fórmula E é um grande passo para toda a indústria avançar”. Ele também acredita que, mais cedo ou mais tarde, o campeonato de elétricos se tornará a nova Fórmula 1.

Aliás, o brasileiro Felipe Massa já faz parte da equipe Venturi e irá disputar a próxima temporada. Já temos para quem torcer! 😉

Fonte: Olhar Digital

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *