Trabalhando com filamento ABS Deixe um comentário

O filamento ABS (Acrilonitrila Butadieno Estireno) um dos materiais mais versáteis e com ótimo custo benefício para impressão 3D, é também dito como complicado de imprimir em impressoras 3D de estrutura aberta (será mesmo?). Neste post você vai aprender a extrair o máximo potencial deste material em máquinas abertas.

Vamos começar respondendo a pergunta mais comum, o que é de fato o ABS?

Conhecendo o ABS

Termoplástico derivado do petróleo, o ABS é barato, possui ótima resistência mecânica e boa resistência a temperaturas (até os 108,8ºC) e ainda rende impressões simplesmente sensacionais como as abaixo:

Desvantagens do ABS

Bem, o ABS é um material sensível a variações térmicas bruscas, mesmo as breves, tendo forte tendência a se retrair (efeito também conhecido como warp) e até mesmo rachar caso o mesmo seja exposto a essa condição durante a fabricação da peça em questão.

Rachaduras e retração causadas pela variação térmica

Como imprimir utilizando o ABS? 

Algumas dúvidas costumam surgir quando escolhemos o ABS como material para impressão. Vamos esclarecer as principais questões abaixo:

Só é possível imprimir com ABS em impressoras 3D fechadas?

Não é bem assim. Para minimizar os riscos de variação térmica, basta que a impressora 3D fique em um ambiente livre de corrente de ar, ou seja, portas e janelas fechadas, ventiladores, aparelhos de ar condicionado desligados e etc! 

É possível utilizar gabinetes fechados nas impressoras 3D abertas? Eles funcionam?

É possível sim, utilizar gabinetes (como o da imagem acima)! Eles ajudam muito quando não é possível controlar a variação térmica do ambiente ou em ambientes extremamente frios. (abaixo dos 13ºC). 

Então imprimir sem gabinete em dias frios ou com ambiente exposto é inviável?

Na verdade é perfeitamente possível. A solução é mais simples do que se pode imaginar e sem precisar recorrer a “artifícios pouco ortodoxos” como este:

Para resolver o problema, basta criarmos uma parede de sacrifício em volta da peça. Tal parede irá atuar como um escudo, protegendo a peça durante a sua confecção, evitando assim boa parte dos problemas ocasionados pela variação térmica. 

Repare como a parede de sacrifício sofreu todo o impacto da variação térmica, deixando as peças abrigadas ali, intactas. 

Principais configurações no software de fatiamento para imprimir com Filamento ABS

Agora vamos agora colocar a mão na massa e aprender a fatiar ABS manualmente afim de extrair tudo o que esse material tem a oferecer, não importando a impressora! 

Altura das camadas

Após abrir o software fatiador (aqui vamos utilizar o Ultimaker Cura), importe uma peça para servir como exemplo. 

Altura das camadas filamento ABS

Feito isso, vamos começar pela altura das camadas que o projeto terá. Quanto mais altas forem as camadas, mais visíveis serão as linhas de impressão, reduzindo assim o nível de detalhamento do projeto. No nosso caso vamos utilizar 0,12 mm.

Dica importante: Para ganhar tempo, muitas vezes em peças que exigem alturas de camada muito baixas, como action figures e alguns elementos mecânicos, você pode utilizar valores próximos a 0,1 mm e não exatamente este valor.

Altura da primeira camada

Deixe a primeira camada bem alta. Isso mesmo! Uma primeira camada alta irá favorecer a adesão da peça na mesa de impressão e até mesmo permitirá que algumas peças sejam impressas mesmo que a mesa esteja levemente desnivelada. No nosso caso vamos utilizar 0,3 mm.

Dica importante: 0,3 mm é a altura ideal para a grande maioria dos projetos permitindo ótima adesão sem comprometer a precisão da peça em si.

Espessura de parede, base e topo

A espessura da parede é sem dúvida um dos ajustes mais importantes. Uma parede fina demais pode ser muito frágil não apenas deixando a estética da peça nada atraente como também interferir na resistência da mesma. O mesmo podemos dizer da base e do topo da mesma. Sendo assim, é aconselhável deixar todos esses ajustes com o mesmo valor, e sempre com valores maiores que 0,8 mm (a menos que o seu projeto realmente demande valor menor). 

Configurações do material

Os ajustes mais importantes são feitos aqui. Filamento ABS de boa procedência em equipamentos bem configurados podem ser extrusados com temperaturas mais baixas, poupando assim o bico e consequentemente o conjunto do hotend. 

A primeira camada deve ser sempre um pouco mais quente do que as demais para garantir máxima adesão a mesa de impressão. 

A mesa de impressão deve estar preferencialmente a 110ºC para garantir que a peça ficará em seu devido lugar durante a impressão.

Dados do material ABS

Dica importante: Antes de iniciar a impressão e com a mesa ainda fria, aplique sob a mesa uma fina camada de cola PVP. Isso irá garantir que a peça não irá se deslocar. Uma aplicação de cola PVP costuma durar de 3 a 6 impressões, bastando reforçar a aplicação caso a mesma perca eficiência. 

Velocidade de Impressão

Quanto mais devagar, melhor vai ficar! Quanto mais detalhes a peça tiver, mais devagar você deverá ir. Isso acontece pois se o bico passar rápido de mais, a camada logo abaixo pode não estar completamente solidificada gerando assim imperfeições na peça. Geralmente nessas situações 40 mm/s costuma ser uma velocidade adequada para ABS. Peças com pouco detalhamento e altura de camada mais altas podem sim receber velocidades bem maiores sem grandes problemas.

Velocidade de impressão para filamento ABS

Ventiladores 

ABS não aceita bem variação térmica ou fluxo de ar, portanto mantenha a fan secundária sempre desligada.

Ventiladores para o filamento ABS

Suportes

Grandes aliados para impressões onde não existe apoio para a peça na mesa ou partes que sem eles iriam sucumbir a grande lei da gravidade, o ajuste abaixo apresenta uma configuração com distância do eixo Z de 0,13 mm o que é ideal para que o suporte possa ser retirado sem “machucar” a peça.

Distância do suporte Z para filamento ABS

Forma de adesão a mesa

Existem várias formas de auxiliar a peça a aderir a mesa durante a confecção do trabalho. Quando lidamos com peças complicadas o Brim é útil não apenas para garantir que a peça fique em seu devido lugar, mas também para preservar suportes e eventual parede de sacrifício em seu devido lugar. 

Forma de adesão para mesa e filamento ABS

Em um ambiente controlado já seria possível imprimir assim mesmo, com baixo risco de problemas comuns ao ABS afetarem a peça já que os suportes em ziguezague agiriam como um “escudo” em volta da peça. 

Configurando suportes para filamento abs

Mas para garantir, vamos aprender a habilitar a parede de sacrifício no Cura. Confira abaixo.

Parede de Sacrifício

Basta descer até o menu de ajustes experimentais e habilitar a opção Draft Shield. Pronto! Agora sua peça contará com um escudo protetor que irá proporcionar muito mais segurança em suas impressões aumentando em muito suas taxas de êxito além de diminuir consideravelmente o desperdício! 

Dica importante: A distância da parede de sacrifício pode ser pequena em relação a peça mas não em demasia para garantir que a mesma tenha a sua eficácia! O ajuste padrão é suficiente para a maioria dos casos. 

Parede de sacrifício para filamento ABS

Agora você já tem várias novas ferramentas para garantir tudo o que a impressão com filamento ABS pode proporcionar!  

Gostou de conhecer as técnicas para impressão com filamento ABS? Deixe um comentário abaixo dizendo qual dica você mais,gostou, qual você costuma usar e se tem alguma que não está listada por aqui. Para mais conteúdos sobre impressão 3D acesse o blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *